2007-01-16

Subject: Lançada campanha para proteger as espécies mais estranhas

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Lançada campanha para proteger as espécies mais estranhas

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Um minúsculo bebé lori agarra-se ao dedo do tratador

Um programa de conservação para algumas das espécies mais bizarras e invulgares do mundo está a ser lançado pela Zoological Society de Londres (ZSL).

Espécies como o morcego zangão e o hipopótamo pigmeu vão passar a ser protegidas segundo o projecto Evolutionarily Distinct and Globally Endangered (EDGE, ou em português Evolutivamente Distintas e Globalmente Ameaçadas).

O esquema tem como alvo animais com uma história evolutiva única e que estão a enfrentar um risco real e imediato de extinção, como o nome indica.

De acordo com a ZSL, muitas destas espécies estão a ser ignoradas pelos planos de conservação actualmente em cena.

Espécies em foco pela EDGE para 2007Pygmy hippopotamus (Image: ZSL)

Hipopótamo pigmeu

Equidna de bico longo de Attenborough

Solenodon de Hispaniola

Camelo bactriano

Golfinho do rio Yangtze

Lóris

Antílope Hirola

Rato-elefante de dorso dourado

Morcego zangão

Gerbo de orelha longa

(Imagem @ ZSL)

A Sociedade define espécies EDGE como tendo poucos parentes filogenéticos próximos, sendo geneticamente distintas e requerendo acção imediata para se salvarem da extinção.

"Há muito que se fala de espécies únicas como sendo particularmente importantes para a conservação a longo prazo mas tem sido muito difícil integrá-las no planeamento da conservação", diz Jonathan Baillie, cientista principal do programa. "Este é o primeiro programa à escala mundial em que foi possível fazê-lo."

E foi possível devido ao desenvolvimento de uma "super-árvore" genealógica que mostra as relações entre as diferentes espécies.

"Assim sabemos quais as mais distintas do ponto de vista evolutivo e podemos combinar isto com o estatuto de ameaça", acrescenta Baillie.

Os cientistas identificaram um total de 564 espécies que caem na nova definição, estando o focos do programa da ZSL nas primeiras 100.

Para o primeiro ano, a ZSL identificou 10 "espécies-foco" que serão as primeiras a beneficiar da iniciativa.

 

O morcego zangão Craseony cteris thonglongyai, que se crê ser o menor mamífero do mundo, é um desses animais. Sabe-se que é o único membro da família Craseonycterudae e pensa-se que o último ancestral comum que partilhou com alguma espécie viveu há cerca de 43 milhões de anos.

Desde que foi primeiro descrito, em 1974, este minúsculo animal tem sido muito perturbado por coleccionadores e turistas. A principal ameaça à sua sobrevivência reside na queima das florestas em volta do seu habitat de cavernas de calcário na zona ocidental da Tailândia e sudeste da Birmânia.

O loris Loris tardigradus, nativo do sul do Sri Lanka, é outro beneficiário da iniciativa. A ZSL refere que o registo fóssil da família estende-se até ao início do Miocénio, há cerca de 20 milhões de anos. As populações deste pequeno primata estão em declínio devido à desflorestação e os conservacionistas tencionam estabelecer corredores entre as zonas fragmentadas de floresta em que vive.

Baillie espera que a iniciativa ajude a alertar o público para a ameaça que estas espécies pouco conhecidas enfrentam. "Representam linhagens inteiras, se pensarmos nas espécies EDGE em termos do mundo da arte, seria como perder a Mona Lisa, são totalmente insubstituíveis e únicas."

"De momento, estamos a focar-nos nas 10 espécies em que achamos que podemos realmente fazer a diferença e estamos a tentar angariar fundos para implementar as acções de conservação." Para cada um desses animais, diz ele, a primeira etapa será enviar uma equipa de peritos para avaliar o estado da espécie.

Estudantes locais serão, depois, recrutados para actuar como "parceiros de conservação da EDGE" para desenvolver a pesquisa que será utilizada para moldar as estratégias de protecção. Ele acrescenta que o objectivo é ter planos de acção no terreno para as 100 espécies EDGE nos próximos cinco anos.

O programa será financiado por donativos do público que visita um site da internet actualizado com as últimas notícias da investigação e blogs dos investigadores dos projectos, bem como por donativos oficiais.

A ZSL está actualmente a trabalhar num esquema semelhante para os anfíbios, que espera lançar num futuro muito próximo. 

 

 

Saber mais:

ZSL Edge

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com