2007-01-11

Subject: Alterações climáticas ameaçam fonte de alimentação dos botos

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Alterações climáticas ameaçam fonte de alimentação dos botos

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

As alterações climáticas estão a perturbar a fonte de alimentos dos botos, um dos mamíferos marinhos mais ameaçados da Europa, revela a mais recente investigação.

Os cientistas descobriram que o número de enguias da areia disponíveis para os botos se alimentarem em cada Primavera sofreu um declínio abrupto e muitos animais estão a passar fome.

Os mamíferos precisam de se alimentar frequentemente para sobreviver, dizem os investigadores, e são muito vulneráveis a uma redução do efectivo das suas presas. O problema relatado na revista Biology Letters, também está a afectar as aves marinhas.

As enguias da areia são muito ricas em óleos, o que as torna um suprimento alimentar vital para muitas aves e mamíferos marinhos.

"O conteúdo energético por grama de tecido é o factor principal", observou Colin MacLeod, da Universidade de Aberdeen. "Os botos são muito pequenos logo se não receberem alimento suficiente ficam com a camada de gordura demasiado fina e morrem de hipotermia."

A investigação mostra que as enguias da areia têm sido muito difíceis de encontrar para os botos nos anos mais recentes na zona escocesa do Mar do Norte.

Os dados da equipa resultam de autópsias a botos encontrados mortos na costa, para determinação da causa da morte. As autópsias incluem o exame do conteúdo estomacal.

Entre 1993 e 2001, apenas 5% dos animais que morreram na Primavera morreram de fome mas em 2002 e 2003 o número subiu para uns preocupantes 33%. Por sua vez, a proporção de enguias da areia encontradas nos seus estômagos sofreu um declínio abrupto entre os dois períodos.

 

Um mês de Março médio entre 1993 e 2001 mostrava que as enguias da areia compunham cerca de 60% da dieta dos botos mas 2002 e 2003 representavam apenas 7%. A mesma tendência foi observada no mês de Maio, ainda que não em Abril. 

"A biologia das enguias da areia é muito complicada", explica MacLeod. "Passam grande parte do ano, incluindo o Inverno, enterradas na areia e o que parece estar a acontecer nos últimos anos é que estão a sair da areia cada vez durante menos tempo, e essa é a única altura em que os botos as podem comer."

Esta alteração de comportamento acredita-se que esteja associada a uma perda de plâncton, o seu alimento principal, com o aquecimento das águas, ainda que a sobre-exploração pesqueira também pareça ter alguma influência.

O declínio da enguia de areia tem causado importante problemas às aves marinhas como os papagaios do mar e outras espécies e as quotas de capturas foram reduzidas drasticamente, numa tentativa de inverter esta maré.

Os investigadores observaram que se a temperatura das águas continuar a subir e o plâncton, paralelamente, a desaparecer então deve-se esperar uma nova redução na disponibilidade de enguias da areia para todas as espécies, incluindo o Homem. 

 

 

Saber mais:

Biology Letters

Aberdeen University

RSPB

Aumentam casos de cetáceos encalhados

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2007


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com