2006-10-20

Subject: Salvem os peixes grandes

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Salvem os peixes grandes

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

A pesca torna as populações de peixe mais variáveis de ano para ano, logo mais vulneráveis a um colapso completo, revela um estudo publicado na edição desta semana da revista Nature.

Estes ciclos de florescimento e colapso são provavelmente amplificados por pescadores que têm como alvo peixes mais fortes, maiores e mais velhos, refere a equipa internacional de investigadores. Assim, as agências que estabelecem as quotas de capturas deviam considerar ajustá-las de forma a proteger os peixes maiores, aconselham.

Há décadas que os investigadores examinam a subida e a queda de certo tipo de populações de peixe, tentando determinar porque motivo os números mudaram: pesca excessiva, alterações de temperatura dos oceanos ou uma combinação destes factores têm sido os principais culpados. A industria pesqueira, por sua vez, culpa as alterações ambientais pelo colapso das populações.

Para decifrar a causa, George Sugihara e Chih-hao Hsieh do Scripps Institution of Oceanography de La Jolla, Califórnia, analisaram dados de mais 50 anos relativos à contagem de larvas de peixe, tanto de espécies com como de espécies sem importância económica.

Os dados provêm da California Cooperative Oceanic Fisheries Investigations (CalCOFI), que teve início em 1949 logo após o colapso da pesca da sardinha. O estudo inclui amostras a longo prazo e dados oceanográficos da ponta da Baja California no México até à Colúmbia Britânica no Canadá, ainda que nos últimos anos os dados sejam principalmente de águas entre San Diego e San Francisco.

O grupo analisou dados de 13 espécies economicamente importantes (solha de Dover Microstomus pacificus e sardinhas do Pacífico Sardinops sagax, por exemplo) e 16 espécies geralmente não incomodadas pela industria (Tetragonurus cuvieri ou a enguia Ophidion scrippsae, por exemplo).

A abundância de larvas variou muito mais, de ano para ano, nas espécies-alvo que nas restantes, relatam eles. Num ano de pouca abundância as populações de peixes são mais vulneráveis ao colapso total se outro factor, desde a falta de alimento a alterações de temperatura da água, as empurrar para o abismo. "A pesca pode causar um maior risco de colapso do que antes tínhamos previsto", diz Sugihara.

 

"Eles mostraram que as populações exploradas são claramente mais vulneráveis que as não exploradas", concorda o biólogo Roger Hewitt, director dos recursos pesqueiros do Southwest Fisheries Sciences Center (National Marine Fisheries Service, NMFS) de La Jolla, mas que não esteve envolvido no estudo.

Os investigadores dizem que a captura selectiva de peixes mais velhos e maiores, que podem ser reprodutores mais capazes e melhor capacitados a sobreviver a alterações ambientais, deve ser a causa provável. 

O grupo examinou os registos de descarga de peixes-alvo e descobriu que as amostras de todas as espécies tinham declinado em tamanho e idade ao longo do tempo, com 9 das 13 a decair significativamente.

O comprimento médio de uma solha de Dover sole, por exemplo, caiu de 40 para 37 centímetros entre 1970 e 2004. Isto é o equivalente a um homem médio americano encolher 15 centímetros! A idade média do peixe também declinou de 16 a 18 anos na década de 80 para 12 a 13 anos em 2005.

Os autores do estudo dizem que os responsáveis deviam reavaliar as quotas de captura à luz destes resultados, tentando gerir a idade e o tamanho das espécies-alvo, não apenas as toneladas descarregadas. "Estes resultados são fortes evidências a favor da criação de reservas de protecção marinha para a manutenção dos stocks pesqueiros", diz Sugihara.

O NMFS, que trabalha com os conselhos regionais no estabelecimento de quotas nas águas americanas, foi contactado pela revista Nature para comentar a sua política mas não o quis fazer. 

 

 

Saber mais:

CALCOFI

Southwest Fisheries Science Center

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2006


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com