2006-10-16

Subject: Até as bananas pretas e brancas parecem amarelas

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Até as bananas pretas e brancas parecem amarelas

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Quando olhamos para uma banana será que o nosso cérebro nos diz que ela parece amarela, mesmo que não seja? Um estudo recente mostra que sim.

Os psicólogos da Universidade de Giessen na Alemanha relatam na revista Nature Neuroscience que a nossa percepção da cor de um objecto depende da nossa memória da sua cor típica.

Karl Gegenfurtner e os seus colegas mostraram aos seus voluntários imagens digitalizadas de fruta, apresentadas em cores ao acaso contra um fundo cinzento. De seguida pediram aos observadores para ajustar a cor da fruta no monitor do computador até que também ele estivesse cinzento.

Mas os voluntários tinham grande dificuldade em fazer esta simples tarefa. Com uma imagem de uma banana, por exemplo, ajustavam a imagem de forma a que fosse ligeiramente demasiado azul quando tentavam atingir o cinzento, como se estivessem a compensar a percepção de um amarelo que não estava realmente lá. No ponto em que a banana estava verdadeiramente acromática, os voluntários pensavam que ainda parecia um pouco amarelo.

Não fazia diferença de que cor a banana era em primeiro lugar, os voluntários podiam ficar espantados ou surpresos com a imagem de uma banana vermelha, diz Gegenfurtner, mas mantinham a imagem de uma banana amarela na mente.

 

Quando os voluntários observavam uma forma neutra, um disco de cor uniforme, por exemplo, o problema desaparecia: os observadores tornavam a figura cinzenta de forma correcta.

Estudos prévios também mostraram que a nossa mente pode pregar-nos partidas em relação à cor. Podemos lembrar cores como sendo mais intensas do que eram realmente, por exemplo. Os voluntários a quem foi pedido que escolhessem a cor da relva a partir de uma variedade de cartões verdes frequentemente escolhiam um verde mais intenso que o da relva real, diz Gegenfurtner.

Um estudo até demonstrou que discriminamos a cor de forma diferente quando a vemos do nosso lado esquerdo ou do nosso lado direito (veja 'Language colours vision').

Gegenfurtner considera que o novo estudo salienta a forma como a memória de uma cor também pode ter impacto na sua percepção. 

 

 

Saber mais:

Nature Neuroscience

Eléctrodos no cérebro desencadeiam visões

Significado ajuda memória

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2006


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com