2006-10-11

Subject: Salvar o lobo da Etiópia

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, a Rede Simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

Mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta imensa rede!

 

Em destaque:

Salvar o lobo da Etiópia

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Que problemas enfrenta o lobo da Etiópia?

Existem apenas 500 lobos da Etiópia Canis simensis a viver em sete bolsas de altitude espalhadas pelas montanhas Bale da Etiópia e a população está ameaçada pela raiva. Enfrentaram grandes surtos em 1992 e 2003 e existe o risco de um surto futuro os dizimar completamente.

Como chega a raiva às populações do lobo da Etiópia?

A raiva é galopante nas populações de cães domésticos da Etiópia. À medida que mais colonos humanos chegam à zona montanhosa mais ou menos selvagem, os seus cães misturam-se (e muitas vezes mordem) com os lobos. O lobo da Etiópia, muito semelhante à raposa europeia com o seu pêlo avermelhado e focinho comprido, é um animal brincalhão logo as mordidelas e lambidelas nas alcateias ajuda na propagação da doença. As lutas entre grupos territoriais podem agravar ainda mais o problema.

Enfrentam outros desafios?

A outra grande ameaça é a destruição de habitat, com a expansão cada vez maior da criação de gado para altitudes mais elevadas. Este isolamento é a forma mais vulgar como as populações animais são forçadas a reduzir o seu efectivo mas, diz Dan Haydon da Universidade de Glasgow: "A doença é o último prego no caixão." 

O que pode ser feito?

Existem vacinas orais para a raiva que podem ser largadas de avião nas populações selvagens mas esta estratégia não funciona bem na Etiópia, por falta de fundos, peritos e infrastruturas. Também há preocupação por parte das autoridades africanas quanto ao uso de uma vacina resultante de engenharia genética.

"Gostava de ver uma atitude mais aberta das autoridades da Etiópia em relação às vacinas orais", diz Haydon, que tem estudado as estratégias a usar para aumentar a sobrevivência do lobo.

 

Com estas limitações, Haydon pensa que uma estratégia mais dirigida com vacinas injectáveis em lobos capturados e sedados pode ser a solução. A vacinação de animais localizados nos corredores entre subpopulações é uma forma eficaz de confinar a doença.

É isso possível de realizar?

Haydon pensa que sim. A sua equipa já realizou um pequeno projecto durante o surto de 2003 em que vacinaram mais de 80 lobos por US$55000. O resultado? O seu modelo mostra a possibilidade de a infecção atravessar um corredor desceu de 25% para 8%.

"Com a experiência existente, podemos gerir uma intervenção semelhante no futuro por metade do preço", diz Claudio Sillero, da Oxford University's Wildlife Conservation Research Unit, o que é muito mais barato que um programa de eliminação total (vacinação para todos os lobos) e que provavelmente não resultaria pois os donos dos cães não os vacinam.

Vale a pena o esforço?

Alguns defensores da vida selvagem estão preocupados com este tipo de vacinação, temendo danos para os lobos devido à captura, sedação e manuseio mas Haydon argumenta que não há provas de danos e espera que o seu trabalho os continue a salvar. "O lobo da Etiópia é um animal único, extremamente belo, são muito importantes para a Etiópia." 

 

 

Saber mais:

Ethiopian Wolf Conservation Programme

Wildlife Conservation Research Unit, University of Oxford

Surto de raiva ameaça lobo da Etiópia

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2006


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com