2003-12-25

Subject: Ave marinha regressa após 150 anos

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Ave marinha regressa após 150 anos

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

New Zealand storm petrel   Bryan ThomasDois cidadãos britânicos afirmam ter visto uma ave marinha que se pensava extinta há mais de 150 anos. A ave, o petrel das tempestades da Nova Zelândia Oceanites maorianus, foi observada ao largo da Ilha do Norte do arquipélago, em Novembro. 

Já tinha ocorrido um possível avistamento de petrel em Janeiro de 2003, quando foi fotografado pela primeira vez, embora a imagem tenha sido posta em causa. No entanto, desta vez, os dois britânicos afirmam que não existe qualquer dúvida acerca da identidade desta ave, vista pela última vez em 1850. 

Bryan Thomas, um fotógrafo profissional de aves e o seu amigo Bob Flood, um escritor foram os porta-vozes desta descoberta. Encontravam-se na Nova Zelândia para escrever um artigo para o site sobre ornitologia Swarovski Birding.

Thomas descreveu o acontecimento: estávamos num pequeno barco ao largo da ilha Little Barrier, não muito longe de Auckland, a 17 de Novembro quando notámos 20 a 30 petréis. Ao largo da Nova Zelândia espera-se observar duas outras espécies, o petrel de barriga preta e o petrel das tempestades de face branca. 

Mas a ave que observaram tinha características bem distintas, com a zona ventral branca com uma linha escura e os pés projectados para trás, visíveis por baixo da cauda. Existem outras diferenças no detalhe da plumagem, que puderam observar bastante bem pois se encontravam a apenas 6 metros das aves. 

 

Duas plumagens foram conservadas desde o tempo em que as aves desapareceram, no século XIX, e agora era importante que fossem sujeitas a testes de DNA, consideram os observadores de aves. 

Ambos estão confiantes que os resultados provarão este tipo de petrel é uma espécie reconhecida e que as observações foram correctas.

Thomas pensa que os petréis se reproduzem nas ilhas Little e Great Barrier, onde se encontra uma população bastante considerável de ratos. Acredita que os ratos estão agora em declínio, permitindo aos petréis retomarem o seu terreno de acasalamento e nidificação. 

New Zealand storm petrel   Bryan ThomasO reconhecimento de que teriam, quase de certeza, redescoberto uma espécie há muito perdida só atingiu o par algumas horas depois, comentam. O mar estava bastante alterado, pelo que nesse dia e no pequeno barco, era bastante complicado tirar fotografias fosse do que fosse, e eu não fiz o download das imagens até estarmos de volta a terra nessa noite, refere Thomas.  

 

 

Saber mais: 

Swarovski Birding

BirdLife International

IUCN

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com