2006-05-02

Subject: Núcleos celulares enrugados podem fazer-nos envelhecer

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Núcleos celulares enrugados podem fazer-nos envelhecer

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Na incessante busca para identificar as moléculas que nos tornam a pele enrugada e o cabelo branco, alguns cientistas estão a começar a pensar que a membrana do núcleo celular pode desempenhar aqui um papel importante.

Um novo estudo mostra que as células das pessoas com mais de 80 anos de idade tendem a apresentar problemas específicos com o núcleo, que as células das crianças pequenas não têm. O núcleo das células dos mais idosos perdem a sua forma firme e arredondada, deformando-se e enrugando-se.

A descoberta apoia a ideia cada vez mais generalizada de que pelo menos parte do processo normal de envelhecimento pode ser conduzido pela decadência do núcleo e que o bloqueio deste processo pode reduzir a factura da passagem do tempo no corpo.

"Se esta situação tiver realmente um papel fisiológico nas pessoas idosas normais, então trata-se de uma descoberta fantástica", diz David Sinclair que estuda os mecanismos moleculares do envelhecimento na Harvard Medical School em Cambridge, Massachusetts.

Os investigadores descobriram muitos genes diferentes que podem alterar a duração da vida dos animais. Para além disso, alguns factores ambientais, desde a quantidade de alimento que ingerimos ao número de cigarros que fumamos, pensa-se que podem contribuir para a velocidade com que envelhecemos. No entanto, não existe consenso acerca da forma exacta como esses factores se combinam para causar a decadência das nossas células e corpo.

Uma ideia largamente aceite é de que as células acumulam desgaste ao longo da vida devido à presença de moléculas como o oxigénio reactivo. Alguns investigadores têm-se focado em problemas com as mitocôndrias e outros têm analisado as extremidades dos cromossomas, os telómeros, se desfiam à medida que envelhecemos.

Para aumentar o conhecimento sobre o processo de envelhecimento humano, muitos biólogos têm recentemente focado a sua atenção num grupo de doenças conhecido como progérias, em que crianças sofrem de calvície, doenças do coração e outros sintomas de envelhecimento prematuro.

 

Em 2003, os cientistas mostraram que uma dessas doenças raras, conhecida como Síndroma de Hutchinson-Gilford (HGPS), é causada por uma mutação que afecta a proteína lamina A, um dos blocos de construção do núcleo e da sua membrana. Agora, Tom Misteli e Paola Scaffidi do National Cancer Institute de Bethesda, Maryland, mostraram que os idosos tendem a apresentar o mesmo problema nos núcleos das suas células, sugerindo que esta proteína é importante para o processo normal de envelhecimento.

Em células retiradas dos idosos, o núcleo tende a apresentar-se enrugado, o DNA acumula danos e os níveis de algumas das proteínas associadas ao DNA alteram-se, relata a equipa na última edição da revista Science. Estes factos reflectem as alterações previamente observadas nas células de crianças com HGPS.

A equipa sugere que as células saudáveis fabricam sempre uma quantidade vestigial de uma forma aberrante da proteína lamina A mas que as células jovens a conseguem detectar e eliminar. Já as células mais velhas não o fazem.

Ainda mais importante, o bloqueio da produção desta forma alterada da proteína corrigiu todos os problemas do núcleo. "Podemos pegar em todas estas células velhas e torná-las jovens novamente", diz Misteli.

Isto sugere que drogas que façam o mesmo efeito podem muito bem abrandar ou parar completamente alguns dos sintomas do envelhecimento. Esta é a próxima e crucial experiência que tem que ser realizada em animais, referem os investigadores.

 

 

Saber mais:

Progeria Research Foundation

Tabaco envelhece o DNA

Alguns de nós vão viver até aos 150 anos

Segredo do envelhecimento precoce descoberto 

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2006


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com