2006-04-06

Subject: Relatório chama a atenção para consequências da falta de sono

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Relatório chama a atenção para consequências da falta de sono

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

A privação de sono está a custar aos Estados Unidos centenas de biliões de dólares por ano, pelo menos é que dizem os peritos que publicaram um relatório sobre este problema de saúde cada vez mais importante mas tantas vezes ignorado.

A televisão 24 horas por dia e o aumento dos dias de trabalho significam que muitas pessoas estão a dormir cada vez menos e apesar de todos sabermos que não ter horas de sono suficientes nos é prejudicial, os médicos e os investigadores estão apenas agora a aperceber-se do real custo da situação para a nossa saúde.

Para estimar a dimensão do problema do sono na sociedade, e para encontrar formas de o resolver, um grupo de organizações de investigação do sono pediu ao Instituto de Medicina americano para estudar a questão.

Um painel de 14 autoridades na questão revela que o impacto da falta de sono é "chocante" mesmo para os peritos na questão. Referem que cerca de 50 a 70 milhões de americanos sofrem de distúrbios do sono e incontáveis mais de privação do sono.

Muitos especialistas do sono dizem que um bom sono por noite é tão importante para a nossa saúde como a nossa dieta ou exercício regular. O problema é que "é uma questão subavaliada e subestimada", diz Harvey Colten da Universidade de Columbia em Nova Iorque, que presidiu ao painel de especialistas.

A maioria das pessoas precisa de sete a nove horas de sono por noite, tudo o que seja inferior começa a causar deslizes mentais e físicos mas muitos não seguem este conselho. "As pessoas levam a questão com muito pouca seriedade", diz Charles Czeisler da Harvard Medical School de Cambridge, Massachusetts, e presidente da Sleep Research Society.

No extremo mais gravoso do espectro encontramos perturbações com definições clínicas muito claras, como a insónia crónica, a narcolepsia e a apneia do sono, uma doença vulgar em que os pacientes deixam temporariamente de respirar durante a noite.

Os resultados podem ser muito graves. Cerca de 20% dos acidentes rodoviários graves estão associados a condutores sonolentos e um número crescente de estudos associa a falta de sono a um aumento do risco de contrair doenças mortais como a obesidade, diabetes e doenças do coração, apesar destas associações ainda não terem uma razão clara. "O que começa a ser apreciado agora é que o sono está integrado com muitos outros campos da medicina", diz Czeisler.

 

É difícil avaliar os verdadeiros custos destes problemas. De acordo com uma estimativa apresentada neste relatório, os negócios americanos perde cerca de €150 biliões anualmente devido às ausências de empregados cansados, aos acidentes que sofrem ou à sua baixa produtividade. No topo desta lista estão os custos com o aumento do número de consultas médicas e de acidentes.

Os peritos dizem que muitos problemas de sono podem ser resolvidos eliminando maus hábitos, por exemplo, reduzindo a cafeína e não ver televisão na cama. Para diagnosticar problemas mais sérios, sugere o relatório, seria bom desenvolver monitores mais baratos para seguir as ondas cerebrais em casa e não no laboratório.

Outros estudos são necessários sobre a questão do verdadeiro motivo porque o corpo necessita de dormir em primeiro lugar, acrescenta o painel, e de que forma, exactamente, pode conduzir ao surgimento de doenças. Estas questões complicadas têm-se mostrado difíceis de responder.

Os autores recomendam uma campanha de saúde pública para ajudar a ensinar tanto os médicos como os pacientes acerca da importância de uma boa noite de sono e das graves consequências para a saúde da sua falta. "isto pode ter um tremendo impacto", diz Lawrence Epstein, presidente da American Academy of Sleep Medicine em Westchester, Illinois.

 

 

Saber mais:

Sleep disorders and sleep deprivation

Sleep Research Society

American Academy of Sleep Medicine

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2006


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com