2003-12-19

Subject: CEE discute quotas de pesca

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

CEE discute quotas de pesca

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

O acordo sobre as quotas de pesca, criado para reverter o declínio de numerosas espécies foi aceite pelos países da União Europeia. Este acordo menciona medidas restritivas para reduzir a quebra nos stocks de bacalhau e a quantidade de pescada capturada. No entanto, a frota pesqueiro do Mar do Norte pode agora capturar mais 30% de lagostim e mais 53% de eglefim, devido ao aumento dos stocks. 

Tanto os pescadores como os ambientalistas criticaram este acordo, que tenta encontrar um equilíbrio entre a conservação dos stocks e a protecção da industria pesqueira europeia. 

O acordo mantém as quotas de bacalhau e pescada aos níveis do ano passado, mas as embarcações apenas podem pescar alguns dias do mês. As reduções já ocorridas no ano anterior têm sido alvo de acesa polémica com os pescadores, que consideram que não estão a ser devidamente recompensados por permanecerem em terra. 

Apesar do acordo alcançado, vários países, entre os quais Espanha, Dinamarca, França e Inglaterra, apresentaram fortes objecções, tentando proteger as suas respectivas industrias pesqueiras. A Alemanha e a Suécia preconizavam um plano de acordo com as recomendações científicas, que recomendavam uma proibição total da pesca do bacalhau em zonas cruciais e cortes significativos nas capturas de outras espécies. 

A Comissão Europeia insistiu que a recuperação dos stocks de bacalhau apenas pode ser alcançada com a manutenção dos barcos em terra, dado que as limitações à dimensão das capturas se têm mostrado difíceis de aplicar. Segundo este novo esquema, pescadores que demonstrem que capturam pouco ou nenhum bacalhau podem ser autorizados a pescar mais dias no mês. 

O comissário europeu Franz Fischler considera que o novo sistema vai funcionar, pois embora aceite que o acordo vai dificultar o modo de vida dos pescadores, fundos europeus estarão disponíveis para aliviar esse problema. 

Este acordo falha perante as recomendações de proibição apresentadas pelos cientistas, após o decréscimo dos stocks já verificado, não fornecendo uma solução a longo prazo para o problema. Os ministros presentes, mostraram uma falta total de visão, refere Charlotte Mogensen do World Wide Fund for Nature Fisheries. O interesse comum da Europa em salvar os stocks de peixe e as comunidades pesqueiras foi sacrificado em nome do lucro a curto prazo, conclui. 

Os cientistas consideram que os stocks de bacalhau no Mar do Norte desceram abaixo de 1/10 do seu nível de 1970, pelo que a industria pesqueira não pode manter o presente esforço de pesca na zona. 

 

 Outras Notícias:

Natal sustentável

 

Contribua para um Natal ambientalmente sustentável seguindo alguns conselhos simples apresentados pela Quercus:

  • Compre produtos duráveis e reparáveis, evite o usar e deitar fora;

  • Adquira produtos educativos: procure oferecer produtos que estimulem a inteligência, a criatividade, o respeito entre os povos e pelo ambiente;

  • Use pilhas recarregáveis;

  • Resista ao ataque das campanhas de crédito em que só começa a pagar mais tarde, nunca se esqueça é que mais cedo ou mais tarde vai ter mesmo que arranjar dinheiro para pagar;

  • Envie cartões de Natal por correio electrónico, é mais barato, não consome papel e não faz lixo. Se isso não for possível, seja mais criterioso no envio dos cartões e utilize sempre papel reciclado e envelopes reutilizados;

  • Reutilize papéis de embrulho de anos anteriores ou pequenas caixas de outros produtos para acondicionar as prendas;

  • Adquira produtos nacionais, pois não só a qualidade não varia como o impacte ambiental associado ao transporte dos produtos será menor;

  • Para a ceia de Natal comece a habituar-se a substituir o bacalhau por outra iguaria; se não consegue mesmo resistir, adquira bacalhau de média/grande dimensão; faça o mesmo em relação ao polvo (deverá ter sempre mais de 800/900 gr.). Se as dimensões mínimas fossem respeitadas não teríamos os problemas que hoje temos com a quase extinção do bacalhau;

  • Consuma bebidas em embalagens reutilizáveis (com tara retornável). Não originam resíduos e ainda por cima são mais baratas;

  • Adquira uma árvore de Natal sintética ou então recorra apenas a árvores vendidas com autorização (bombeiros, serviços municipais), como garantia da sustentabilidade do corte;

  • Separe todas as embalagens - papel/cartão; plástico; metal – e coloque-as no Ecoponto mais próximo.

Adaptado do comunicado da Direcção Nacional da Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

Saber mais:  

União Europeia - Pesca

ICES

Quercus

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com