2005-12-10

Subject: Alcançado acordo de última hora na conferência de Montreal

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Alcançado acordo de última hora na conferência de Montreal

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Os ministros reunidos na conferência sobre as alterações climáticas em Montreal conseguiram uma série de avanços nos planos contra o combate ao aquecimento global.

No último dia da conferência, os signatários do Protocolo de Kyoto acordaram em estender o tratado sobre a redução das emissões de gases de efeito de estufa para além da sua data de expiração em 2012.

Um grupo mais alargado de países, incluindo os Estados Unidos, concordaram em realizar conversações não vinculativas sobre as medidas a longo prazo. Os Estados Unidos tinham recusado aceitar qualquer acordo que levasse a um compromisso sobre redução de emissões.

Antes, o antigo presidente americano Bill Clinton já tinha referido que a abordagem americana era "pura e simplesmente errada". Após os comentários de Clinton, recebidas com grande apoio, a equipa oficial americana pareceu ter alterado a sua posição.

As conversações formais sobre objectivos específicos podem agora ter início, objectivos que serão definidos para quando a primeira fase do Protocolo de Kyoto expirar em 2012.

Este acordo permite ter dar início às discussões sobre a forma como os grandes países em vias de desenvolvimento, como a Índia e a China, poderão ser trazidas para o sistema de limitação das emissões de gases. 

O ministro canadiano de ambiente, Stephane Dion, que tem sido o anfitrião da conferência, descreveu o acordo como "um mapa para o futuro, o Plano de Acção de Montreal (MAP em inglês).

Na semana passada, os delegados finalizaram um conjunto de regras para Kyoto, formalmente tornando o tratado operacional após anos de negociações e ratificação. O tratado de 1997 obriga os países industrializados a reduzir as suas emissões combinadas de dióxido de carbono para 5% abaixo dos níveis de 1990 até 2008-12.

Os Estados Unidos parecem algo "picados" pela cobertura negativa da imprensa americana sobre a sua saída em protesto perante as tentativas canadianas de os levar a aceitar objectivos obrigatórios, bem como pelos violentos comentários de Clinton.

Clinton atacou o eixo central da resistência da administração Bush aos objectivos de redução de emissões, que estes iriam prejudicar a economia americana.

 

Bill Clinton em MontrealSe os Estados Unidos "tivessem um esforço sério e disciplinado de aplicar em larga escala as tecnologias limpas e de conservação de energia ... poderíamos ir ao encontro e mesmo ultrapassar os objectivos de Kyoto com facilidade, de uma forma que iria fortalecer e não prejudicar a nossa economia", disse Clinton.

O aquecimento global e o degelo, sugeriu ele, podem levar a que uma futura conferência sobre alterações climáticas realizada no Canadá tenha que ser realizada "algures numa jangada".

Os Estados Unidos ainda não se moveram da sua oposição ao Tratado de Kyoto, enfrentando fortes críticas sobre a sua posição.

Jennifer Morgan, perita em alterações climáticas da organização ambientalista WWF, referiu que a decisão do negociador americano Harlan Watson de abandonar as conversações durante a noite mostrou "até que ponto a administração americana está disposta a ir para fugir a um planeta saudável e às suas responsabilidades".

"Se queremos falar de consciência global, diria que há um país que se mantém centrado em agir ... dialogar ... cooperação e ... ajudar os países em desenvolvimento, e esse país são os Estados Unidos", diz o porta-voz do Departamento de Estado Adam Ereli em Washington.

Apesar disso, os ambientalistas consideram que a conferência foi, na sua maioria, um sucesso, tendo-se alcançado acordos sobre a forma de quantificar as emissões de gases de efeito de estufa e como penalizar as nações que não cumpram os objectivos de Kyoto.

 

 

Saber mais:

Protocolo de Kyoto

WWF

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com