2005-11-11

Subject: Aves marinhas afectadas por alterações de dieta

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Aves marinhas afectadas por alterações de dieta

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

@ Nikolai KonyukhovA alteração da dieta das aves marinhas pode estar a torná-las menos inteligentes e a diminuir as suas hipóteses de sobrevivência e de reprodução, revela um novo estudo agora dado a conhecer.

Os cientistas utilizaram experiências laboratoriais para reproduzir as alterações observadas nas dietas das gaivotas-tridáctilas Rissa tridactila do Mar de Bering, provavelmente causadas pelo aquecimento das águas do oceano na zona. 

As crias que receberam uma dieta pobre em peixe gordo tornaram-se adultos menos capazes de obter alimento. A Royal Society for the Protection of Birds (RSPB) comentou estes resultados, assinalando que a alteração da dieta das crias pode estar a afectar as suas probabilidades de sobrevivência.

A década de 80 do século passado assistiu ao início de um declínio nas populações de gaivotas-tridáctilas de patas vermelhas nas ilhas de Pribilof, a sudeste do Mar de Bering, ao largo da costa do Alaska. O efectivo destas aves praticamente ficou reduzido a metade em apenas duas décadas.

A causa desta situação não era clara, apesar dos cientistas terem documentado uma alteração na sua dieta por volta da mesma altura.

"Em relação a muitos dos predadores de topo, como leões marinhos e aves, estava-se a falar de declínios populacionais drásticos", diz Alexander Kitaysky da Universidade do Alaska, e um dos cientistas que realizou o presente estudo. "Os ecossistemas começaram a sofrer alterações, sendo uma das mais pronunciadas o declínio de peixes ricos em gordura como o capelim, sendo substituídos na dieta das gaivotas-tridáctilas por espécies como as cavalas juvenis, pobres em gordura."

A causa deste ajustamento na dieta pode estar relacionada com as alterações climáticas, talvez porque as subidas documentadas da temperatura das águas no Mar de Bering durante esse período a condicionar o movimento das populações de peixe.

Para investigar qual o impacto de uma alteração forçada para um regime pobre em lípidos teria sobre o desenvolvimento de gaivotas-tridáctilas de patas vermelhas, o laboratório de Kitaysky concebeu experiências para explorar os efeitos de dietas variadas.

Vinte gaivotas-tridáctilas foram chocadas em cativeiro e foi-lhes atribuída ao acaso uma de quatro dietas de peixe: alto volume e rica em lípidos, alto volume e pobre em lípidos, baixo volume e rica em lípidos ou baixo volume e pobre em lípidos.

Com a idade de 47 dias, as aves começaram a aprender a associar alimentos a recipientes com tampas de cores variadas.

 

As aves que tinham tido uma dieta rica em lípidos aprendiam rapidamente e lembravam-se de que recipientes deviam procurar, enquanto as aves que tinham recebido uma dieta pobre em lípidos não eram capazes de aprender a distinguir as diversas cores das tampas.

Alexander Kitaysky acredita que na natureza, essa incapacidade para aprender pode revelar-se crucial para a sobrevivência da ave e para a sua capacidade de se reproduzir e criar com sucesso uma descendência.

"A sua comida sempre esteve associada à presença de certo tipo de sinais à superfície do oceano, seja uma alteração de cor ou a presença de espuma", explica ele, "e é suposto que se lembrem dessa associação. A maioria destes pintos não ultrapassaria o seu primeiro ano de vida."

Acredita-se que os lípidos estimulem o desenvolvimento mental dos mamíferos, incluindo o Homem. Outros trabalhos realizados no laboratório de Kitaysky sugerem que os pintos provados de lípidos mostram níveis elevados de hormonas de stress, o que pode estar por trás das suas limitações mentais.

Norman Ratcliffe, biólogo de aves marinhas da RSPB, considera que as limitações mentais podem não ser a única forma como uma dieta pobre durante a infância afecta a capacidade das aves em obter alimento e sobrevivência.

"Este estudo mostra que a nutrição dos pintos pode afectar a capacidade das aves para obter alimento autonomamente em situações artificiais", refere ele. "No entanto, se este facto contribuiu para o declínio das gaivotas-tridáctilas de patas vermelhas na natureza ainda não é claro. O estudo mostra que os pintos alimentados com dietas pobres tinham menos peso, para além das limitações cognitivas, o que também pode afectar as suas hipóteses de sobrevivência."

Em volta da costa do Reino Unido, algumas populações de aves marinhas também estão em declínio catastrófico, igualmente devido ao desaparecimento das presas ricos em lípidos, como as enguias da areia. Também aqui, este desaparecimento parece associado às alterações climáticas.

Estas populações de aves marinhas ainda estão em pior situação que as gaivotas-tridáctilas de Pribilof, pois parece que as enguias da areia em desaparecimento não estão a ser substituídas por outras espécies. 

 

 

Saber mais:

University of Alaska

RSPB

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com