2005-11-07

Subject: Hormonas tornam as mulheres melhores condutoras

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Hormonas tornam as mulheres melhores condutoras

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

A hormona feminina estrogénio pode ser a responsável por um melhor desempenho das mulheres em muitas tarefas, entre as quais se inclui uma condução segura, refere um estudo agora conhecido.

Testes mostraram que a atenção e a capacidade de aprender regras são muito melhores nas mulheres que nos homens. 

Os cientistas da Universidade de Bradford revelaram num conferência sobre hormonas a decorrer em Londres como as tarefas que requerem maior flexibilidade mental são melhor desempenhadas pelas mulheres que pelos homens. 

Segundo eles, os níveis de estrogénio na circulação das mulheres podem ser cruciais para o funcionamento do lobo frontal, a zona do cérebro envolvida nessas capacidades.

Os investigadores pediram a 43 homens e mulheres com idades entre os 18 e os 35 anos que realizassem uma bateria de testes neuropsicológicos que avaliaram capacidades como a memória de reconhecimento espacial, aprendizagem de regras, atenção, planeamento e controlo motor.

As mulheres foram muito melhores na capacidade de mudar o foco da sua atenção de um tipo de estímulo para outro, tornando mais fácil o desempenho de acções diárias como a condução e a leitura.

Este facto pode explicar porque as raparigas têm maior facilidade que os rapazes em se concentrar na escola e porque as mulheres são condutoras mais seguras, propõem os investigadores.

Falando perante o encontro da Sociedade de Endocrinologia, eles explicaram: "Este estudo demonstra que tarefas que exijam flexibilidade mental são melhor desempenhadas pelas mulheres, uma área onde anteriormente não se considerava que existissem grandes diferenças entre os sexos. A condução pode ser um exemplo da forma como isto se aplica ao dia-a-dia."

"O nosso estudo sugere que os estrogénios podem influenciar de forma positiva a actividade dos neurónios dos lobos frontais, uma área do cérebro estimulada por tarefas de atenção e aprendizagem de regras, o que pode explicar a vantagem feminina durante o desempenho dessas tarefas."

No entanto, outros investigadores no passado já tinham sugerido que as capacidades espaciais, como a leitura de mapas e o estacionamento, podem ser mais difíceis para algumas mulheres devido à sua reduzida exposição à testosterona no útero.

 

Peter Marsh, autor do livro Driving Passion: The Psychology of the Car, acredita que homens e mulheres são inerentemente diferentes e que essas diferenças se manifestam atrás do volante.

Segundo ele, os homens gostam de correr riscos, da emoção da perseguição e da sensação, enquanto as mulheres são mais cautelosas.

Os acidentes envolvendo mulheres tendem a ocorrer em rotundas e cruzamentos mas a velocidades muito inferiores aos que envolvem homens, que são colisões muito mais graves pois não conseguem travar com rapidez suficiente.

Nick Neave, psicólogo evolucionário da Universidade de Northumbria que tem vindo a investigar a percepção do espaço e as diferenças de género, comenta: "A questão acerca da condução é que não se trata de uma capacidade única, muitas perícias estão envolvidas."

"Temos que considerar a capacidade motora, a atenção, a percepção do espaço e a confiança. Normalmente há tendência para descobrir que em certos aspectos os homens são melhores, coisas como a navegação, a percepção espacial e a confiança. Mas eles têm mais acidentes."

"Para aspectos como a atenção, nitidamente as mulheres são melhores. Há uma vantagem feminina em certas tarefas do córtex frontal, onde sabemos que existem receptores para os estrogénios, logo a zona é sensível a esta hormona."

"Mas temos que ser cautelosos. Os investigadores não analisaram testes de condução, logo a extrapolação é um pouco exagerada. Gostávamos de ter mais investigação sobre a capacidade condutora no futuro." 

 

 

Saber mais:

Bradford University

Society for Endocrinology

Jovens com telemóvel conduzem como velhos

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com