2003-12-13

Subject: Descoberta "creche" de baleias azuis no Chile

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Descoberta "creche" de baleias azuis no Chile

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Os cientistas fizeram uma extraordinária descoberta no Chile: uma "creche" escondida de baleias azuis, onde estes animais vão para se alimentarem e criarem dos seus juvenis. A descoberta irá ajudar os investigadores a compreender o comportamento e o padrão de migração das baleias azuis, uma importante contribuição para a sua conservação. 

A baleia, ou rorqual, azul Balaenoptera musculus é o maior animal da Terra e quase foi levada à extinção pela caça à baleia comercial. os investigadores consideram que a área, numa rede abrigada de fiordes rodeados por vulcões à muito adormecidos, é uma das mais importantes para a alimentação e procriação desta espécie no hemisfério sul. 

O Dr. Hucke-Gaete admite que as baleias podem mesmo dar à luz na mesma área mas não existem, até ao momento, provas de que assim seja. Existe pouca informação quanto ao local onde as baleias azuis dão à luz, embora se pense que é em águas tropicais. 

Esta área de alimentação e criação dos jovens foi descoberta quando os investigadores seguiram uma baleia ao longo da costa chilena em 1997, numa expedição de estudo organizada pela Comissão Internacional de Caça à Baleia (IWC).

Os observadores nos navios notaram que os avistamentos de baleias se tornavam mais frequentes perto da costa do que seria de esperar. Numa expedição posterior, que penetrou nos fiordes, o perito em baleias Don Ljungblad e colegas descobriram o local. 

Reconhecimentos realizados em 2003 registaram pelo menos 11 mães com crias, sugerindo que a área era realmente usada para a criação de jovens crias. 

No entanto, estas descobertas parecem contradizer a teoria tradicionalmente aceite acerca da migração sazonal das baleias azuis. As baleias azuis do hemisfério sul deixam, em geral, os locais de alimentação no Antárctico no Outono, atingindo águas tropicais no início do Inverno, para dar à luz e acasalar. Na Primavera, voltam às águas frias do sul. 

No entanto, as baleias azuis da zona do Chiloe-Corcovado estavam nitidamente a passar o Verão perto dos trópicos, ao contrário do que seria de esperar. 

 

Uma possibilidade a considerar é a de que a população encontrada nos fiordes do sul do Chile é em facto de baleias azuis anãs Balaenoptera musculus brevicauda, que alguns biólogos consideram uma subespécie separada. No entanto, esta designação é altamente controversa e não é aceite por todos os peritos. As baleias azuis anãs não deverão seguir os mesmos padrões migratórios da "verdadeiras" baleias azuis. 

Andrew Read, professor assistente de conservação marinha na universidade de Duke, North Carolina, diz que não ficaria surpreendido se se descobrisse que os padrões migratórios das baleias azuis fossem bem mais complexos do que se supõe pois as teorias vigentes são baseadas em investigações muito antigas. Se forem descobertas novas concentrações de baleias fora dos seus habitats conhecidos, isso seriam óptimas notícias pois devem existir mais animais do que se pensava, comenta Read. 

Uma outra possibilidade, a de que os animais podem mudar de hábitos, não é aceite por muitos biólogos marinhos, embora alguns considerem esta uma alternativa plausível. 

A IWC estima o efectivo de baleias azuis no hemisfério sul em cerca de 1400, número que subiu de 500 animais há cerca de 25 anos. No entanto, esta recuperação tem sido muito lenta. 

A agência governamental de protecção do ambiente chilena já redigiu uma proposta de criação de uma zona de protecção especial e de um parque natural marinho na zona. 

 

Saber mais:  

Universidad Austral de Chile

Whale and Dolphin Conservation Society

Arkive - Blue Whale

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com