2005-10-15

Subject: Perguntas mais frequentes sobre a gripe das aves

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Perguntas mais frequentes sobre a gripe das aves

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

O alastrar da gripe das aves à Turquia e à Roménia (ver Outras Notícias, ao lado), bem como o aumento do número de mortes na Ásia em consequência deste vírus está a causar grande preocupação, tanto na comunidade científica como na população em geral.

Mas o que é afinal esta doença e quais são os riscos possíveis para o Homem? Eis algumas respostas.

O que é a gripe das aves? 

Tal como o Homem e muitas outras espécies, as aves são susceptíveis de contrair gripe. Existem 15 tipos de gripe de aves, sendo as estirpes mais contagiosas, e geralmente fatais para os animais, as H5 e H7. A estirpe mortífera que está a causar o surto actual é conhecida por H5N1. Mesmo entre a estirpe H5N1 existem variantes, e estirpes ligeiramente diferentes têm sido detectadas em vários países durante este surto. 

As aves migratórias selvagens, principalmente os patos selvagens, são portadores naturais do vírus mas raramente apresentam sintomas de infecção, mas as aves domésticas são particularmente sensíveis a epidemias. Este é o motivo porque a confirmação da presença da estirpe H5N1 em aves na Turquia e na Roménia é tão preocupante. 

O Paquistão já registou casos de infecção com as estirpes H7 e H9 da gripe das aves em galinhas mas nenhum destes vírus foi transmitido ao Homem.

É possível evitar a entrada da gripe das aves num dado país?

O receio é que, após as descobertas na Turquia e na Roménia, o H5N1 se espalhe por toda a Europa, pois sendo transportado pelas aves migratórias não há forma de o impedir.

Mas esse transporte não implica necessariamente que seja transmitido às aves domésticas. Os peritos consideram que medidas adequadas, como impedir o contacto entre as aves selvagens e as domésticas, mantendo estas últimas no interior, podem impedir a contaminação.

Seguir os padrões de migração das aves selvagens também pode ajudar a alertar as populações para a chegada de animais potencialmente infectados e a implementação de medidas de prevenção.

Como pode uma pessoa contrair a gripe das aves? 

Pensava-se que a gripe das aves apenas infectava estes animais até que surgiram os primeiros casos humanos em Hong Kong em 1997. O Homem contrai a doença através do contacto directo com aves vivas infectadas.

As aves excretam o vírus nas fezes, que ao secar são pulverizadas e posteriormente inaladas pelo Homem. Os sintomas são semelhantes aos da gripe humana vulgar: febre, mal-estar geral, dores de garganta e tosse. Também é possível o surgimento de conjuntivite.

Os investigadores estão agora preocupados com a descoberta de cientistas vietnamitas de que o vírus pode atacar todo o corpo e não apenas os pulmões. Isto significa que muitas doenças e mesmo mortes, que se pensou serem devidas a outras situações, podem ter estado relacionadas com o vírus da gripe das aves.

Quantas pessoas já foram afectadas por esta doença? 

Até 10 de Outubro de 2005, existiam 117 casos confirmados de gripe das aves em humanos na Indonésia, Vietname, Tailândia e Cambodja, tendo destes casos resultado 60 mortes.

A gripe das aves tem uma taxa de mortalidade elevada, como se pode deduzir pela comparação com o surto de SARS: esta matou cerca de 800 pessoas em todo o mundo, tendo infectado pelo menos 8400 desde o seu surgimento em Novembro de 2002.

A gripe das aves pode ser passada de pessoa a pessoa?

Existem indicações que pode, apesar de, até agora, não na perigosa forma mutada que pode originar uma pandemia. Um caso na Tailândia revelou uma possível transmissão do vírus de uma garota com a doença para a sua mãe, que também acabou por morrer. A tia da rapariga, que também foi infectada, acabou por sobreviver.

O perito em virulogia John Oxford refere que estes casos indicam que o vírus básico pode ser transmitido entre humanos, e prevê que novos casos deste tipo sejam reconhecidos em breve.

Mas esta não foi a única situação onde se pensa que o vírus das aves tenha sido transmitido entre humanos. Em 2004, duas irmãs morreram no Vietname após terem provavelmente contraído a gripe das aves a partir do seu irmão, que tinha morrido de uma doença respiratória não identificada. 

Significa isto que é provável que ocorra um grande surto de gripe das aves?

Os peritos temem que tal aconteça, mas no caso tailandês o vírus apenas foi transmitido aos familiares próximos e não mais longe. Para além disso, não se tinha combinado com uma forma de gripe humana, que é o principal receio.

Os peritos acreditam que o vírus pode trocar genes com o vírus da gripe humana, se uma pessoa for simultaneamente infectada com os dois tipos. Quanto mais vezes esta infecção dupla acontecer, maior a probabilidade de surgir uma nova estirpe, capaz de ser transmitida pessoa a pessoa.

As preocupações aumentam quando investigações recentes mostraram que o vírus que causou a pandemia de gripe de 1918 também era um vírus de gripe das aves.

Quais seriam as consequências de uma situação dessas? 

Uma vez que o vírus obtenha a capacidade de se propagar pessoa a pessoa os resultados podem ser catastróficos. A nível mundial, os peritos prevêem algo como 2 a 50 milhões de mortes.

 

Existe uma vacina?

Não existe ainda uma vacina definitiva mas já existem protótipos que oferecem alguma protecção contra a estirpe H5N1 em produção. No entanto, antigripais como o Tamiflu, de venda vulgarizada e que estão a ser armazenados em todos os países europeus como medida de precaução, podem ajudar a controlar os sintomas e reduzir as hipóteses de uma propagação descontrolada da doença.

Os receios de que um doente vietnamita se tinha tornado parcialmente resistente ao Tamiflu, levou os peritos a recomendar o armazenamento de outros medicamentos da mesma classe, como o Relenza (zanamivir).

Podemos continuar a comer aves de capoeira?

Sim. Os peritos já explicaram que o vírus da gripe das aves não transferido através da carne dos animais mas do ar, logo as únicas pessoas em risco são as envolvidas na criação, abate e preparação das aves.

No entanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda, para eliminar qualquer risco, que toda a carne seja cozinhada com temperaturas de pelo menos 70ºC e que os ovos estejam completamente coagulados.

O que está ser feito para conter o vírus nos países afectados?

Milhões de aves têm sido abatidas numa tentativa de impedir a propagação da doença entre as aves, o que pode, por sua vez, impedir que seja transmitida ao Homem.

O que está a ser feito em Portugal?

Os peritos consideram que Portugal e outros países da zona mais ocidental da Europa, como o Reino Unido, têm "um risco muito baixo" de verem surgir a doença neste momento, mas ainda assim estimam que um quarto da população portuguesa seria afectada se ocorresse um surto, levando possivelmente à morte de 50000 pessoas.

Já foi ordenada a compra e armazenamento do antigripal Tamiflu e emitidas orientações para a gestão de um possível surto, no quadro da União Europeia.

 

Outras Notícias:

Estirpe romena da gripe das aves é igual à letal

 

A gripe das aves detectada na Roménia é causada pela mesma estirpe letal que tem vindo a propagar-se na Ásia. A confirmação segue-se á realização de testes na Veterinary Laboratory Agency em Weybridge, Reino Unido.

A estirpe H5N1 tem causado pesadas perdas nos aviários do sudeste asiático desde 2003 e já levou à morte de mais 60 pessoas.

Apesar das suas vítimas humanas terem contraído o vírus devido ao contacto com aves vivas, existe o temor que uma forma mutante do vírus adquira a capacidade de se transmitir pessoa a pessoa. A OMS já alertou para a possibilidade de morrerem milhões de pessoas numa pandemia se tal acontecer.

Os casos de gripe das aves foram identificados em duas aldeias noleste da Roménia no início do mês e os testes confirmam a chegada da estirpe letal ao continente europeu. 

"Os resultados confirmam que se trata da estirpe H5N1 mas são precisas outras análises para confirmar a origem do vírus", revelou um porta-voz do ministério da agricultura inglês. 

Funcionários governamentais romenos já afirmaram que são necessárias medidas drásticas para conter o surto. As aves de capoeira já foram abatidas na zona afectada e uma zona de quarentena de 3 Km foi estabelecida em seu redor.

A Turquia também já tinha revelado a descoberta da estirpe letal do vírus entre as aves de capoeira do oeste do país, levando a União Europeia a embargar a importação de aves vivas e de produtos delas resultantes destes dois países.

Após a revelação dos testes, o comissário europeu para a saúde Markos Kyprianou referiu que já tinham sido tomadas medidas. "A Comissão já estava a trabalhar com base no pressuposto que o vírus romeno seria também o H5N1", disse ele.

 

 

Saber mais:

O.M.S. - gripe das aves

Doença misteriosa alastra pela China

Crise da gripe das aves pode ser contida?

Gripe das aves pode ter passado de pessoa para pessoa

Pandemia eminente com mutações na gripe das aves

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com