2005-09-28

Subject: Lula gigante viva fotografada pela primeira vez

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Lula gigante viva fotografada pela primeira vez

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

@ Tsunemi Kubodera e Kyoichi MoriUma lula gigante adulta viva foi capturada em imagem na natureza pela primeira vez. Investigadores japoneses conseguiram tirar fotografias da esquiva criatura enquanto caçava a 900 metros de profundidade, envolvendo as presas com os tentáculos.

As imagens mostram que a lula gigante, pertencente ao género Architeuthis, é um caçador bem mais vigoroso do que se pensava e foram publicadas na revista Proceedings of the Royal Society B

As empresas produtoras de documentários investiram milhões de dólares na tentativa de filmar as lulas gigantes no seu ambiente natural mas estes esforços tiveram muito pouco sucesso, apenas uma expedição conseguiu captar um animal juvenil em filme.

Pescadores japoneses já tinham tirado fotografias de adultos à superfície mas, até agora, ninguém tinha obtido imagens do animal nos seus terrenos de caça em águas profundas.

Nos seus esforços para fotografar o enorme cefalópode, Tsunemi Kubodera e Kyoichi Mori usaram máquinas fotográficas e de filmar para profundidade presas a uma longa linha que era descida às profundezas a partir do seu navio de investigação.

Por baixo das máquinas suspenderam bandas armadas de ganchos para prender o animal, bem como uma lula japonesa vulgar como isco alimentar e camarões cortados como isco odorífero.

Às 9.15, hora local do Pacífico, de 30 de Setembro tiveram finalmente sorte. A uma profundidade de perto de um quilómetro ao largo das ilhas japonesas de Ogasawara, uma Architeuthis com 8 metros de comprimento enrolou os seus tentáculos em volta do isco, prendendo um deles nos ganchos.

@ Tsunemi Kubodera e Kyoichi MoriKubodera e Mori tiraram mais de 550 fotografias da lula gigante enquanto esta fazia tentativas para se libertar. As imagens mostram a lula a abrir os braços, envolvendo a linha e nadando para longe num esforço para se soltar. Finalmente, após 4 horas e 13 minutos, o tentáculo enganchado partiu-se e o cefalópode escapou. 

Os investigadores recuperaram uma porção desse tentáculo com 5,5 metros de comprimento ao recolher a linha. "Foi muito excitante obter assim um tentáculo vivo da Architeuthis. Ainda funcionava quando o trouxemos para o barco", diz Kubodera.

 

@Tsunemi Kubodera e Kyoichi MoriAs enormes ventosas do braço agarravam-se ao convés do barco e até aos dedos de Kubodera enquanto ele o analisava. "Não fazia tanta força como eu estava à espera, era mais como se fosse pegajoso", explica ele.

Mas se outros investigadores têm sugerido que a lula Architeuthis é um cefalópode bastante lento, as imagens mostram que se trata de um predador bem energético.

Steve O'Shea, da Universidade Técnica de Auckland, Nova Zelândia, refere como ficou feliz pelos investigadores envolvidos. Kubodera, diz ele, andava "muito discretamente a trabalhar nisto há muitos anos". O'Shea, conhecido a nível mundial como perito em lulas gigantes, acrescenta: "Do ponto de vista do público, que acredita que esta é a maior e mais agressiva lula que existe, isto é muito significativo."

O investigador de Auckland refere ainda que, agora que a lula foi captada em imagens, os investigadores irão focar-se mais noutros tipos, menos conhecidos, de lulas e na sua conservação.

A pesca de arrasto está a destruir os bancos de ovos de lulas no fundo do mar, afirma O'Shea. As provas desta situação vêm do mais eficiente predador de lulas, o cachalote.

"Cinco das espécies de lulas que eram a base da dieta dos cachalotes estão classificadas na Nova Zelândia como ameaçadas, apenas em consequência dos efeitos da pesca de arrasto no fundo. Os cachalotes estão a regressar do Antárctico pela sua rota migratória histórica através de uma das regiões mais ricas em diversidade de lulas do planeta. Mas a despensa está vazia e as baleias estão a dar à costa mortas de fome."

No entanto, a lula gigante não é de todo o maior cefalópode. Várias outras espécies, incluindo a lula colossal Mesonychoteuthis hamiltoni, devem, segundo se pensa, atingir proporções ainda maiores.

 

 

Saber mais:

Imagens vídeo da lula gigante (BBC)

Proceedings of the Royal Society B

Descoberto novo predador de lulas gigantes

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com