2005-09-21

Subject: Gorgulhos oferecem às suas fêmeas a juventude

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Gorgulhos oferecem às suas fêmeas a juventude

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Alguma vez pensou que o seu parceiro lhe está a causar cabelos brancos antes do tempo? 

Pois as coisas são muito diferentes para estes pequenos escaravelhos estudados por biólogos evolucionistas suecos. Descobriu-se que os machos do gorgulho do feijão conseguem abrandar o processo de envelhecimento nas suas parceiras simplesmente tendo relações sexuais com elas.

As fêmeas do gorgulho do feijão Acanthoscelides obtectus vivem mais tempo quando acasalam com machos que tenham sido criados para se reproduzir mais tarde na vida, relatam os investigadores da Universidade de Uppsala.

Fornecendo-lhes um cocktail de moléculas químicas anti-envelhecimento, os machos impedem que as suas parceiras morram antes de eles terem tido a possibilidade de produzir uma grande família.

"Os machos estão apenas a promover os seus próprios interesses egoístas fazendo-se passar pelos 'bons da fita' neste caso", explica Göran Arnqvist, membro da equipa de estudo. "Beneficia os machos que as suas parceiras vivam mais tempo."

Esta é uma descoberta surpreendente pois geralmente é considerado que a reprodução acelera o processo de envelhecimento. Ratinhos macho castrados, por exemplo, vivem mais tempo sem os devastadores efeitos da testosterona no corpo. Garantir a passagem dos nossos genes às gerações futuras pode ter custos muito elevados.

De modo geral, o envelhecimento não é considerado como sujeito a forças evolutivas fortes, porque a velhice se instala após a produção dos descendentes e os genes já foram transmitidos. Os genes que nos tornam frágeis e decrépitos aos 70 anos não devem ter sido eliminados pela selecção quando se tem filhos aos 30.

Mas existem situações em que tanto a reprodução como a longevidade são possíveis, como os investigadores suecos descobriram.

A equipa estudou os gorgulhos que tinham sido criados em laboratório para se reproduzirem muito cedo ou muito tarde na vida. A estirpe que se reproduzia cedo foi desenvolvida permitindo aos gorgulhos acesso livre aos feijões onde as suas larvas se desenvolvem.

 

Já a estirpe que se reproduzia mais tarde foi criada impedindo o acesso aos gorgulhos aos feijões até que um casal estivesse junto há 10 dias. Após muitas gerações, os insectos evoluíram para se adaptar a estas condições.

Quando os machos destas diferentes estirpes acasalaram com fêmeas normais, as fêmeas que acasalaram com machos de reprodução tardia viveram significativamente mais tempo: 18,7 dias em média, comparados com os 17,9 para as fêmeas parceiras dos machos reprodutores precoces. 

Ainda não é claro de que forma os machos estão a prolongar a vida das suas parceiras, admite Arnqvist. Ele suspeita que existe um ingrediente mágico no seu esperma que estimula a saúde e o vigor das fêmeas. Mas, diz ele, "o líquido ejaculado pelos insectos é uma sopa de proteínas e péptidos imensamente complexa".

Seja qual for o ingrediente misterioso, os machos reprodutores precoces não se dão ao trabalho de o fornecer pois não há essa necessidade, explica ele. Como as fêmeas se reproduzem imediatamente, o macho ainda consegue ser pai, mesmo que a parceira morra jovem.

Vários insectos de reprodução precoce reduzem mesmo o tempo de vida dos seus parceiros na sua competição pela captura das fêmeas. A mosca da fruta, por exemplo, produz uma proteína no seu sémen que torna mais difícil aos outros machos fertilizar a mesma fêmea, pois é tóxico.

Este tipo de efeito secundário é um exemplo mais comum da situação, onde o sexo é um jogo de ganhos e perdas. As sortudas parceiras dos gorgulhos de reprodução tardia, que recebem uma vida longa e bons momentos de sexo, são provavelmente a excepção.

 

 

Saber mais:

Uppsala University Evolutionary Biology Centre

Pornografia mista estimula a produção de esperma

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com