2005-08-07

Subject: Ligres são centro das atenções após filme americano

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Ligres são centro das atenções após filme americano

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

É meio leão, meio tigre mas completamente verdadeiro e agora, graças ao filme de 2004 Napoleon Dynamite, o ligre saltou para a ribalta.

Os animais, vagamente listrados e de juba despenteada, resultam do acasalamento entre leões macho e tigres fêmea, o que lhes permite rugir como um leão e um ronronar afectuoso mas forte como os tigres. Em média pesando cerca de 450 Kg, devoram 23 Kg de carne crua por refeição.

"A maior parte do tempo são muito descontraídos", diz Jason Hutcherson,  vice-presidente do Wild Animal Safari de Pine Mountain, Geórgia. "Gostam de nadar e brincar na água."

Este parque turístico é lar da maior população de ligres dos Estados Unidos, 10 animais. Desde 1999 que o parque acasala o seu leão com a sua tigre fêmea, tendo já produzido 24 crias, embora nem todas tivessem nascido saudáveis.

"Três dessas crias, pareciam normais quando nasceram mas, à medida que cresciam, acabaram por desenvolver doenças neurológicas", diz Hutcherson. As autópsias não revelaram o que terá provocado os tremores de cabeça, logo o parque considerou-os causados por anomalias genéticas.

Os jardins zoológicos acreditados não consideram boa prática acasalar animais de espécies diferentes logo nunca criaram ligres, diz Jane Ballentine, porta-voz da American Zoo and Aquarium Association, de Silver Spring, Maryland. "O procedimento habitual é manter as duas espécies separadas."

Os acasalamentos entre leões e tigres ocorrem em cativeiro mas não na natureza, provavelmente pela mesma razão que o Homem não acasala com gorilas ou com chimpanzés.

"A quebra da barreira da espécie geralmente não acontece na natureza, pois resultaria numa redução da aptidão da descendência", explica Ronald Tilson, director de conservação do Minnesota Zoo em Apple Valley.

A geografia é outro obstáculo ao acasalamento natural entre tigres e leões. Os tigres selvagens habitam na Ásia, enquanto o habitat actual dos leões é quase inteiramente em África. 

A Floresta Nacional de Gir, na Índia, é o único local do mundo onde o habitat de leões e tigres se sobrepõe, alimentando a especulação de que ligres selvagens andavam pela zona há centenas de anos.

Tilson não acredita. "É altamente improvável porque a floresta de Gir é realmente muito seca e não é um bom habitat para os tigres."

Na orla do deserto Mojave, perto de Los Angeles, Califórnia, um ligre solitário chamado Patrick vive na Reserva de Shambala, que se descreve a si própria como "santuário dos grandes felinos ameaçados".

 

"O mais interessante acerca destes animais é que conservam o melhor dos tigres e dos leões", diz a actriz de cinema e conservacionista Tippi Hedren, que dirige Shambala desde 1972. "Essas qualidades manifestam-se em aspectos tão diversos como o gostarem de água (típico dos tigres) e serem muito sociais (típico dos leões)."

Muitos dos grandes felinos do santuário com 32 hectares são órfãos ou animais salvos de circos, jardins zoológicos ou proprietários privados que já não podiam manter os animais. Patrick chegou ao santuário há sete anos, depois das autoridades terem encerrado o jardim zoológico de beira de estrada onde vivia.

O ligre com 360 Kg era mantido numa jaula tão pequena que as suas patas traseiras já tinham começado a atrofiar, explica Hedren, antiga estrela do filme de Alfred Hitchcock The Birds.

O santuário da vida selvagem Spirit of the Hills, em Spearfish, Dakota do Sul, também adquiriu recentemente um ligre de nome Samson e outros 48 grandes felinos, após as autoridades federais terem encerrado outra instalação de animais selvagens no Minnesota.

"Todos querem ver Samson", diz Trevor Smith, biólogo ambiental e membro da administração do santuário. "Ele é muito esquisito a comer, só quer bife e alce. Bem tentámos dar-lhe galinha, como aos outros, mas ele não lhes toca, deixa apodrecer ao sol."

O santuário, cuja missão é educar as pessoas para o conhecerem melhor os animais selvagens e para o facto de não serem bons animais de estimação, assistiu a uma onda de novos visitantes desde que Samson chegou, em Junho.

Muita da curiosidade do público sobre o ligre resulta do filme Napoleon Dynamite, refere Smith, mas ele teme que Samson se esteja a tornar numa feira de aberrações. "Tivemos um grande debate ético no santuário sobre se devíamos ou não afastá-lo do olhar do público, mas ao mesmo tempo é ele que está a fazer os visitantes cá chegarem."

 

 

Saber mais:

Napoleon Dynamite

American Zoo and Aquarium Association

Shambala Preserve

Wild Animal Safari

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com