2005-07-23

Subject: Elefantes selvagens desaparecem da antiga Birmânia

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the Wild

Este boletim é mantido por simbiotica.org, uma rede simbiótica de Biologia e Conservação da Natureza

mantenha-se informado das últimas novidades e troque ideias com todos os que fazem parte desta rede!

 

Em destaque:

Elefantes selvagens desaparecem da antiga Birmânia

 

  Questões ou comentários para: webmaster@simbiotica.org

Dê a rede simbiotica.org a conhecer a um amigo!!

Os elefantes selvagens de Myanmar, antiga Birmânia, estão a desaparecer a um ritmo alarmante, dizem os conservacionistas, mas não se trata de destruição de habitat ou doenças: os animais estão a ser raptados pelos madeireiros e postos a trabalhar arrastando árvores abatidas através da floresta.

Há cerca de uma década, os conservacionistas estimavam que existissem até 10000 elefantes selvagens nas florestas da Birmânia mas ao reavaliar recentemente a situação encontraram tão poucas amostras de estrume de elefante que nem puderam fazer uma estimativa válida da população. Parecia que os elefantes se tinham simplesmente evaporado.

Assim, os conservacionistas convocaram um conselho com as autoridades locais, guardas-florestais, veterinários especialistas em elefantes, proprietários privados de elefantes e estudiosos destes animais.

 A conclusão que daí emergiu foi que os animais desaparecidos se tinham juntado às manadas de elefantes cativos nos campos madeireiros.

O resultado deste conselho extraordinário foi apresentado por Peter Leimgruber, do Smithsonian's National Zoological Park de Washington DC, no encontro da Sociedade de Biologia da Conservação que decorreu em Brasília na semana passada.

Os elefantes estão a ser usados como animais de trabalho em Myanmar desde há gerações. Antes da Segunda Grande Guerra, cerca de 10000 elefantes trabalhavam no país e quando milhares deles foram mortos durante a guerra, mais elefantes foram capturados para revitalizar a industria madeireira.

Apesar da captura de elefantes selvagens ter sido proibida em 1995, pensa-se que as pessoas continuam a cercar os animais que destroem as culturas ou de alguma forma perturbam as comunidades. Os investigadores estimam que existam actualmente cerca de 6000 animais em mãos humanas.

Leimgruber salienta que os animais de trabalho são impedidos de se reproduzir para que se os níveis de produtividade se mantenham elevados, pelo que é necessária uma captura contínua de animais selvagens para manter a força de trabalho constante.

 

Os elefantes selvagens de Myanmar estão a capturados para os campos madeireiros de uma forma insustentável

O grupo espera realizar um estudo mais rigoroso para descobrir quantos elefantes selvagens restam em Myanmar. É provável que sejam menos de 2000 os que ainda percorrem livremente as florestas.

Leimgruber também não considera uma boa ideia a libertação dos elefantes cativos. Uma vez que perderam o medo das pessoas, é provável que atacassem as povoações em busca de alimentos, o que apenas incentivaria as populações a capturá-los novamente.

Pode ser que a utilidade dos elefantes nos campos madeireiros seja a melhor forma de encorajar as populações locais a salvar a espécie, diz Leimgruber. os animais fazem um belíssimo trabalho, acrescenta ele, e causam relativamente pouca poluição. "Prefiro ter a floresta a ser cortada com a ajuda de um elefante do que com maquinaria pesada", diz ele.

 

 

Saber mais:

Smithsonian Zoo

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ simbiotica.org, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com