2005-03-19

Subject: O factor X do cromossoma feminino

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,              para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

O factor X do cromossoma feminino

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@sapo.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

As fêmeas apresentam maior variabilidade que os machos do ponto de vista genético, revelou a análise do cromossoma X. Uma vasta equipa de cientistas publicou um perfil detalhado do cromossoma na revista Nature.

Descobriram que as fêmeas dos mamíferos, que têm duas cópias do cromossoma X, expressão mais genes que os machos, que apresentam um cromossoma X e um cromossoma Y. A dose dupla do cromossoma X protege as fêmeas de muitas doenças genéticas.

"O cromossoma X é o mais extraordinário do genoma humano em termos de biologia e da sua associação com doenças", diz Mark Ross, líder do projecto no Wellcome Trust Sanger Institute do Reino Unido.

O cromossoma X, um dos 24 cromossomas distintos que podem ser encontrados nas células humanas, é muito maior que o relativamente minúsculo Y, contendo 1098 genes contra os 78 do cromossoma Y.

Isto significa que as fêmeas dos mamíferos contêm mais de 1000 a mais do que os machos. Para o compensar, o corpo feminino inactiva um dos cromossomas X, totalmente ao acaso, equilibrando a produção de proteínas entre os sexos.

É esta expressão ao acaso do cromossoma X a responsável pela inconfundível coloração Calico da pelagem de certos gatos. Os gatos Calico, que são sempre fêmea, têm alelos diferentes para a coloração do pêlo em cada cromossoma X, que são expressos ao acaso por todo o corpo, resultando no padrão multicolorido desta variedade.

No entanto, os investigadores tinham descoberto recentemente que o cromossoma X "silencioso" das fêmeas não é totalmente silencioso, alguns genes escapam à inactivação, o que significa que o sexo frágil expressa realmente mais genes que os machos.

"Verifica-se que 15% dos genes escapam à inactivação, cada um agora um candidato à explicação das diferenças entre homens e mulheres", diz Robin Lovell-Badge, do National Institute for Medical Research. "Para além disso, outros 10% podem ser activados ou inactivados, oferecendo um mecanismo que torna as mulheres portadoras de maior variabilidade do que os homens."

 

O cromossoma X também protegem, ou causam danos, a saúde, dependendo de que sexo se está a falar. Apesar de ninguém saber porque motivo o cromossoma Y encolheu, o seu declínio não foi catastrófico, graças ao cromossoma X.

De certo modo, não tem grande importância se um macho não tiver alguns genes no seu cromossoma Y, pois os seus equivalentes podem ser encontrados no cromossoma X. Mas isto deixa os machos mais vulneráveis aos problemas escondidos no cromossoma X.

"Doenças relacionadas com o cromossoma X são normalmente expressas nos machos pois não têm uma cópia que compense essas falhas", diz Ross. "Mais de 300 doenças já foram associadas ao cromossoma X, até agora, incluindo hemofilia, autismo, distrofia muscular e atrasos mentais vários."

"Uma das consequências disso", diz Ian Jackson do MRC Human Genetics Unit, "é que os rapazes têm uma incidência muito superior de atraso mental que as raparigas."

O professor Mike Stratton, do Wellcome Trust Sanger Institute, considera que a sequenciação de alta qualidade do cromossoma X agora conhecida será muito valiosa, permitindo aos cientistas prevenir o surgimento de doenças metais.

No entanto, os homens têm uma razão para se sentirem felizes com a sua composição genética. Certos cientistas relataram que apesar de terem maior probabilidade de sofrer atrasos mentais, os homens também têm maior probabilidade de serem génios.

Apesar do QI médio de homens e mulheres ser igual, os homens são mais frequentemente encontrados em ambos os extremos da escala de inteligência. Isto deve-se, pensa-se, ao facto de se existem genes de inteligência muito bons no seu cromossoma X, compensa mais que não sejam abafados por genes medianos do outro cromossoma X. 

 

 

Saber mais:

Nature

Wellcome Trust Sanger Institute

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com