2005-03-15

Subject: Vírus ameaça as touradas espanholas

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,              para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Vírus ameaça as touradas espanholas

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@sapo.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

A industria espanhola da festa brava enfrenta a pior crise da sua história devido a um vírus transmitido por um mosquito, alertam os criadores. Milhares de festivais que envolvem gado taurino, desde touradas às famosas largadas, estão agora ameaçadas.

A doença da língua azul está a levar a restrições ao movimento de animais a partir das áreas afectadas mas as associações de criadores consideram que se estas barreiras não forem levantadas as touradas espanholas ficarão paralisadas.

As zonas restritas incluem as províncias da Andaluzia, Estremadura e Castilla-La Mancha, onde cerca de 65% dos criadores que fornecem as touradas espanholas estão baseados. Os seus touros são utilizados em corridas em toda a Espanha e no sul de França.

Com as regras em vigor desde o ano passado, os animais só podem ser transportados para fora das áreas restritas para abate. Se um touro for levado para uma praça de touros e não for utilizado, seja qual for a razão, as regras obrigam a que tenha que ser abatido.

A maioria dos touros destinados às touradas do festival de San Firmin em Pamplona, por exemplo, são de áreas restritas, logo nem as touradas nem as famosas largadas poderão ser realizadas.

A industria das touradas considera que as restrições terão impacto nos custos e na qualidade dos eventos por toda a Espanha e sul de França, tendo mesmo um efeito dominó noutros locais.

"Não se trata agora de um problema veterinário, é um problema social, económico e cultural", diz Jaime Sebastian de Erice, da União dos Criadores de Touros.

 

Ele considera que a crise também ameaça centenas de milhares de empregos, directa ou indirectamente envolvidos com a industria das touradas, de hotéis e vendedores de bilhetes a lojas de vestuário feminino.

Ele acrescenta que os criadores de touros alegam que podem garantir a transferência segura dos animais de zonas afectadas para os acontecimentos e de volta, sem a possibilidade da transmissão da doença, que não afecta o Homem.

Representantes de organizações de criadores e de organizadores de corridas de touros devem encontrar-se com o governo esta semana, para discutir a crise da doença da língua azul. 

Esta doença, transportada por insectos como o mosquito, pode matar os ruminantes de várias espécies. Nas cabras pode causar febre, inchaço da face e da língua mas o gado bovino raramente apresenta sintomas, sendo necessário detectar laboratorialmente a contaminação.

A sua prevenção inclui o isolamento, vacinação e controlo de insectos.

 

 

Saber mais:

Fight Against Animal Cruelty in Europe

União de criadores de touros

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com