2005-03-03

Subject: Estilista Fátima Lopes afirma “Sou a favor das peles”

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,              para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Estilista Fátima Lopes afirma “Sou a favor das peles” 

 

  Questões ou comentários para: biologia@sapo.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

Quando lhe foi perguntado se “As peles que utiliza são sintéticas”, Fátima Lopes respondeu, descaradamente: “Não há nada falso. É tudo verdadeiro desde as raposas aos visons. Nunca disse que era contra as peles verdadeiras. Pelo contrário, sou a favor."

Fátima Lopes é a favor da manutenção de milhões de raposas, martas, chinchilas, guaxinins e animais de outras espécies em jaulas mínimas e imundas, nas quais, dadas as pobres condições em que são mantidos, estes animais desenvolvem distúrbios comportamentais, como o canibalismo e a auto-mutilação, tendo como fim a morte por asfixia, quebra do pescoço, afogamento ou electrocussão anal ou vaginal, apenas para que o seu pêlo venha a fazer parte de uma peça de roupa ou acessórios.

Porque não aproveitar este momento para escrever a Fátima Lopes e expressar o seu desacordo com esta posição? 

Envie a mensagem abaixo (ou a sua própria) para fatima@fatima-lopes.com, alexandre@fatima-lopes.com e porto@fatima-lopes.com.

 

À estilista Fátima Lopes,

As suas declarações na entrevista ao “Correio da Manhã” em que se afirma “a favor das peles” são uma vergonha absoluta. Saiba que, ao ser “a favor das peles”, é a favor da manutenção de milhões de raposas, martas, chinchilas, guaxinins e animais de outras espécies em jaulas mínimas e imundas, nas quais, dadas as pobres condições em que são mantidos, estes animais ficam com distúrbios comportamentais, tais como o canibalismo e a auto-mutilação, tendo como fim a morte por asfixia, quebra do pescoço, afogamento ou electrocussão anal ou vaginal, apenas para que o seu pêlo venha a fazer parte de uma peça de roupa ou acessórios. 

A produção, comércio e uso de peles de animais são uma indústria de caprichos cruéis, primitiva, da qual só faz parte quem, tendo consciência deste mal, não se importa de comprar partes de cadáveres para vestir, sobretudo quando as alternativas não-cruéis, sem pêlo de animais, são perfeitamente satisfatórias.

Siga os bons exemplos da estilista Stella McCartney, dos manequins Marcus Schenkenberg, Fernanda Tavares e Sofia Aparício, e das actrizes Charlize Theron e Fernanda Serrano, entre os exemplos de tantas outras pessoas, que se opõem frontalmente à crueldade da indústria das peles. Siga o bom exemplo da Mango, da Zara, da Stradivarius, da Bershka e da Massimo Dutti, que abandonaram o uso de peles nas suas peças de vestuário. Conheça em http://www.animal.org.pt/bo/conteudos/index.php?categoria_id=99 o sofrimento de milhões de animais que o seu trabalho contribui para provocar e abandone esta posição inaceitável.

Na esperança de que mude urgentemente a sua posição,

Nome:

Cidade:

E-mail:

 

Outras Notícias: 

Campanha para salvar as baleias dos efeitos do sonar

Está em curso uma campanha para proteger as baleias dos mortíferos sonares da marinha internacional, campanha que pretende levar o protesto de todos nós até às portas da própria NATO.

Visite o endereço http://www.savebiogems.org/whales/takeaction.asp
(em inglês) e envie uma mensagem ao secretário geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte e a todos os embaixadores na NATO, exigindo que os países membros interrompam o desenvolvimento e a utilização de potentes sistemas de sonar em habitats de diversas espécies de baleias por todo o mundo.

A organização americana BioGems começou no mês passado a apresentação das evidências já recolhidas directamente a funcionários da NATO e precisa, agora, do apoio e da indignação de cidadãos preocupados de todo o mundo para apoiar esta causa.

A NATO é uma aliança militar de 26 nações, incluindo Portugal, e conta nas suas fileiras com os maiores utilizadores mundiais dos letais sonares militares. Na realidade, já no passado foram associados a exercícios conjuntos da NATO vários episódios de encalhe múltiplo de baleias nas costas das ilhas Canárias e da Grécia.

Não há dúvida que as intensas pulsações deste tipo de sonar podem matar baleias e outros mamíferos marinhos. Os cientistas da Comissão Internacional de Caça à Baleia já consideraram que as evidências de que a utilização de sonares e o encalhe de baleias são esmagadoras.

A revista científica "Nature" já relatou que actividade intensa de sonar pode matar mamíferos marinhos ao provocar hemorragias internas, uma situação semelhante à conhecida por "mal dos mergulhadores".

Em face destas alarmantes informações, é totalmente errado e cruel que se continue a usar o sonar em exercícios de rotina sem a tomada de medidas mínimas de protecção da vida marinha. 

Por este motivo, uma coligação de organizações conservacionistas está a pressionar a NATO e os seus países membros a acabar com este sofrimento desnecessário dos mamíferos marinhos. Junte a sua voz a este protesto em defesa das baleias e de toda a fauna marinha visitando http://www.savebiogems.org/whales/takeaction.asp
e enviando a sua mensagem. Os oceanos precisam da nossa ajuda.

 

 

Saber mais:

Associação Animal

BioGems: Saving Endangered Wild Places

Cachalotes sofrem "mal dos mergulhadores"

Provas de que sons humanos prejudicam baleias

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com