2005-02-23

Subject: Venda de animais de estimação clonados leva a pedidos de proibição

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,              para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Venda de animais de estimação clonados leva a pedidos de proibição

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@sapo.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

Activistas dos direitos dos animais espantaram as companhias de clonagem de animais de estimação ao pedirem, na semana passada, restrições estatais e federais a esta ainda pequena, mas em franco crescimento, industria.

A American Anti-Vivisection Society (AAVS), uma organização com base no estado da Pennsylvania que avalia o tratamento dado aos animais em laboratórios, trabalhou com a Assemblyman Lloyd Levine da Califórnia para apresentar um projecto de lei para banir o transporte e a venda de animais de estimação clonados e geneticamente modificados na Califórnia.

Se o projecto de lei for aprovado, será o primeiro do seu género nos Estados Unidos. 

Nos últimos anos a ciência tem corrido para criar raças únicas de animais de estimação. Actualmente, os donos de cães e gatos podem comprar clones dos seus animais falecidos ou oferecer aos seus filhos peixes geneticamente modificados para ser fluorescentes. Em breve, felinos hipoalérgicos estarão disponíveis.

A AAVS acusou as companhias de clonagem de animais de estimação de funcionarem por detrás de um véu de secretismo. Pediram igualmente que o Departamento de Agricultura americano regule o funcionamento destas companhias da mesma forma que controla os laboratórios de investigação, que têm que cumprir a Animal Welfare Act, que estipula níveis mínimos de cuidados e utilização dos animais.

Lou Hawthorne, director da Genetic Savings and Clone de Sausalito, Califórnia, considera que os protocolos internos da companhia sobre o bem-estar animais são mais rigorosos do que os exigidos pelo governo. "É impossível imaginar que o desleixo do governo acabe por influenciar as nossas actividades", diz ele. "Sob esse ponto de vista temos todo o interesse em que tal aconteça."

A companhia começou a clonagem de gatos em Fevereiro último para donos que estivessem dispostos a despender $50000. Desde então, o preço já desceu para $32000.

Até agora, dois gatinhos foram entregues a clientes e três mais devem seguir o mesmo caminho nos próximos meses. Este ano a companhia espera duplicar também cães.

Numa conferência de impressa Crystal Miller-Spiegel, analista política para a AAVS, alertou para os riscos de saúde envolvidos na clonagem. "Os cientistas concordam de modo geral que a clonagem está assombrada por uma elevada taxa de mortalidade e pelas deformidades", diz ela. "Mesmo com as novas tecnologias, como a transferência de cromatina, resultam em taxas elevadas de aborto e num número significativo de nados-mortos."

É certo que apenas um número reduzido de gatos clonados nasceram nos últimos anos, diz ela, logo não há dados a longo prazo que demonstrem que terão uma esperança de vida média e saudável.

Durante a sua própria conferência de imprensa, Genetic Savings and Clone referiram que não houve mais abortos desde que se utiliza a técnica da transferência de cromatina, há dois anos atrás. Anormalidades relacionadas com a clonagem também não têm sido observadas, diz Phil Damiani, cientista chefe da Genetic Savings and Clone.

 

Outra questão levantada pelos activistas é o facto de os consumidores estarem a ser enganados, pois têm a impressão de que um clone é uma cópia a papel químico do animais original. "Esta é uma fraude de $50000", diz David Magnus, director do Stanford Center for Biomedical Ethics da Califórnia. "Estes animais não vão ter a mesma personalidade que os animais que os donos estão a tentar desesperadamente preservar."

As companhias de clonagem estão a explorar as emoções associadas à perda de um animal de estimação, diz Miller-Spiegel. Fazem-no recrutando veterinários para publicitar o serviço perante clientes com animais terminalmente doentes ou falecidos.

Hawthorne nega: "Nós fazemos tudo para garantir que as pessoas o façam pelas razões certas, deixamos claro no nosso site e nas nossas conversas telefónicas o que é e o que não é possível com a clonagem."

A companhia realmente utiliza veterinários para as vendas e fornece-lhes treino, material publicitário e outro tipo de ajudas, pois está convencida que em menos de dois anos todo o seu negócio virá deles. 

Jon Klingborg, presidente da Veterinary Medical Association da Califórnia (CVMA), não acredita que os veterinários sejam a favor da clonagem. Segundo ele, os veterinários compreendem que, só porque o DNA é idêntico, não é obrigatório que as características físicas sejam idênticas. "Não nos vamos colocar na posição de explicar a alguém que gastou $30000 a $50000 na clonagem do seu gato porquê que não obteve o mesmo gato."

Enquanto os activistas dos direitos dos animais expressam o seu medo que a clonagem aumente o já excessivo número de animais de estimação, Klingborg não acredita nesse tipo de impacto, pois poucos donos optarão por esta via. 

 

 

Saber mais:

Photo Gallery of the First Cloned Cat

Brincando com os clones da firma

Peixe fluorescente reacende debate sobre animais geneticamente modificados

€50000 para clonar o seu gato ou cão

Audubon Nature Institute clona o primeiro carnívoro selvagem

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com