2005-01-26

Subject: Maior simulação climática de sempre prevê subida de temperaturas até 11ºC

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,             para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Maior simulação climática de sempre prevê subida de temperaturas até 11ºC 

 

  Questões ou comentários para: biologia@sapo.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

O efeito de estufa pode ser bem mais severo do que tem sido previsto pelos peritos, de acordo com os resultados do estudo baseado no maior modelo do clima global alguma vez criado. 

No caso mais grave, a duplicação do nível de dióxido de carbono (quando comparado com níveis pré-revolução industrial) provocará a subida das temperaturas globais em média em mais de 11ºC. Para além de prever uma subida máxima acima do que se considerava, o projecto também aumentou o intervalo de possível alterações de temperatura.

Os resultados são os primeiros da climateprediction.net, um projecto que tira partido dos computadores particulares de todo o mundo para prever as alterações climáticas. Mais de 90000 pessoas fizeram o download de software que utiliza o espaço vago no disco dos seus computadores para gerar simulações do clima global.

Uma duplicação do nível de dióxido de carbono pode eventualmente conduzir a um aumento da temperatura global entre 1,9ºC e 11,5ºC, relatam os investigadores responsáveis pelo projecto na edição desta semana da revista Nature. Este nível de incerteza é bem maior que a subida entre 2-5ºC prevista pelo Painel Intergovernamental sobre as Alterações Climáticas.

O grau de incerteza é maior pois a climateprediction.net analisa mais possibilidades que os modelos anteriores, explica o líder do projecto David Stainforth da Universidade de Oxford. As previsões anteriores relativas ao aquecimento global foram baseadas em pouco mais de uma dezena de simulações, enquanto a equipa de Stainforth analisou mais de 2000. 

Os investigadores ainda não conseguem associar uma escala de tempo às subidas de temperatura previstas, mas ainda assim sugerem que o cenário mais radical pode levar décadas ou séculos a ser atingido. O nível do dióxido de carbono atmosférico, actualmente em 379 ppm, devem duplicar em relação ao nível pré-revolução industrial de 280 ppm algures em meados deste século.

Políticas com o objectivo de manter os níveis de gases de estufa abaixo de um patamar seguro podem estar a falhar totalmente o essencial da questão, refere Myles Allen, físico da Universidade de Oxford e membro da equipa. A incerteza em relação ao aquecimento global pode significar que esse patamar seguro não pode ser determinado, em vez disso, podemos ter que cortar nas emissões de gases de estufa durante muitos anos. "A zona de perigo não é algures no futuro", diz ele. "Estamos na zona de perigo agora."

 

 

Cada simulação é uma versão diferente de um programa designado modelo de circulação global. Este modelo divide o globo em milhares de sectores e estima a temperatura futura com base em certos pressupostos como a cobertura de nuvens, a taxa de movimento de calor e de precipitação.

Estudos prévios incluíram apenas os valores mais prováveis para estes factores, enquanto o poder da climateprediction.net permitiu aos investigadores verificar o efeito de dois ou três conjuntos de possibilidades para cada parâmetro.

As predições finais do projecto são baseadas em 2017 simulações que foram capazes de imitar o clima actual. Todas as simulações previram subida de temperaturas médias globais, a maioria de cerca de 3,4ºC, dentro do intervalo previsto pelo Painel Intergovernamental para as Alterações Climáticas, mas muitas foram muito mais severas.

Os investigadores planeiam melhorar os seus modelos, incluindo uma imagem mais sofisticada da forma como o calor se desloca através dos oceanos, dados regionais e uma imagem mais rigorosa da forma como as temperaturas irão altera-se durante este século. "Existe uma base de dados imensa, que mal começámos a analisar", comenta outro membro da equipa Mat Collins do Britain's Met Office em Exeter. 

Entretanto, esperam que mais utilizadores se juntem aos voluntários que oferecem o poder computadorístico à climateprediction.net pois "há montes e montes de coisas para fazer", diz Stainforth.

 

 

Saber mais:

Climateprediction.net

Nature

Crise climática pode estar a menos de 10 anos

Aquecimento global e alterações climáticas: que futuro para o planeta?

Veículos 4x4 deviam ser vendidos com aviso de "perigoso para a saúde"

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com