2005-01-24

Subject: Crise climática pode estar a menos de 10 anos

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,             para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Crise climática pode estar a menos de 10 anos 

 

  Questões ou comentários para: biologia@sapo.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

O mundo pode ter pouco mais de uma década para evitar uma alteração climática catastrófica, alertam os políticos e os cientistas. Um relatório da Equipa Internacional de Estudo da Alteração Climática considera vital que as temperaturas globais não se elevem mais de 2ºC acima dos níveis pré-revolução industrial.

O nível do dióxido de carbono atmosférico que pode desencadear esta subida deverá ser atingido em cerca de 10 anos, pelo que os cientistas climáticos consideram que as temperaturas podem subir mais de 2ºC ainda este século.

Esta equipa de estudo foi criada pelo Institute for Public Policy Research, o Centre for American Progress e pelo Australia Institute. 

No seu relatório, intitulado "Meeting the Climate Challenge", a equipa pede aos governos que cheguem a acordo sobre o objectivo a longo prazo de impedir as temperaturas médias globais de exceder os níveis de antes da revolução industrial em mais de 2ºC: "Para além dos 2ºC, o risco para as sociedades humanas e ecossistemas aumenta significativamente."

Subidas acima deste patamar teria como consequência perdas agrícolas substanciais, efeitos negativos para a saúde de modo geral e riscos aumentados de escassez de água potável. Muitos recifes de coral e mesmo a floresta tropical do Amazonas podem sofrer danos irreversíveis.

"Acima do nível de 2ºC, o risco de alterações climáticas abruptas e descontroladas também aumentam significativamente. As possibilidades incluem ultrapassar pontos de não retorno que conduzam, por exemplo, à perda das camadas de gelo do oeste da Antárctica e da Groenlândia (que, em conjunto, poderiam aumentar o nível do mar em mais de 10 metros no espaço de alguns séculos."

A circulação de água no Atlântico norte também pode ser impedida, alterando o percurso da Corrente do Golfo que ameniza o clima do noroeste europeu.

O relatório considera que limitando a subida de temperatura a 2ºC é a forma mais eficiente de garantir que a concentração de CO2 não suba acima das 400 partes por milhão (ppm). A concentração já atingiu as 380 ppm, e tem vindo recentemente a subir a uma taxa de mais de 2 ppm anualmente, o que significa que o patamar definido por esta equipa deverá ser ultrapassado por volta de 2015.

 

Stephen Byers diz: "O nosso planeta está em risco. A alteração climática é uma bomba-relógio ecológica à espera de explodir e as pessoas estão cada vez mais preocupadas com as alterações e os eventos climáticos extremos que já são visíveis."

O conselheiro científico da equipa é Rajendra Pachauri, o presidente do Painel Intergovernamental sobre a Alteração Climática (IPCC). O IPCC prevê que com a tendência actual, o nível do mar ter-se-á elevado entre 9 e 88 cm até 2100 e as temperaturas médias serão entre 1,5 e 5,5ºC acima das actuais. A última Idade do Gelo foi apenas 4 a 5ºC mais fria do que actualmente.

Pachauri refere: "Penso que nos últimos anos o aumento das emissões é motivo de grande preocupação. Dá-nos a ideia de que podemos acabar por ultrapassar essas balizas de temperatura, o que não seriam boas notícias."

As recomendações da equipa incluem ainda:

  • os países do G8 e outras economias importantes a nível mundial, incluindo os países em desenvolvimento, devem formar um grupo de estudo do clima G8+;

  • os governos do G8 devem passar a gerar pelo menos 25% da sua electricidade a partir de fontes renováveis até 2025;

  • os governos devem remover as barreiras ao e, pelo contrário, aumentar o investimento em energias renováveis e em tecnologias e práticas mais eficientes do ponto de vista energético, incluindo a cessação dos subsídios à utilização de combustíveis fósseis. 

 

 

Saber mais:

IPCC

Hadley Centre for Climate Prediction and Research

The Climate Group

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2005


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com