2004-12-05

Subject: Ovo fóssil dá pistas para o modo de vida dos pterossauros

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,             para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Ovo fóssil dá pistas para o modo de vida dos pterossauros

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

 

Pterosaur embryo drawingA descoberta de dois ovos fossilizados de pterossauros, répteis voadores contemporâneos dos dinossauros, aumenta para três o número conhecido destas estruturas, tendo o terceiro sido encontrado no Verão passado.

Até há muito pouco tempo, os cientistas não tinham a certeza sobre se estes répteis se reproduziriam por ovos ou se davam à luz crias, como os mamíferos.

"Sabemos, agora, que os pterossauros punham ovos", diz Christopher Bennett, perito em pterossauros na Universidade de Fort Hays no Kansas. 

O primeiro ovo de pterossauro, descoberto na China, foi anunciado na revista Nature em Junho. Um segundo, também da China, e um terceiro da Argentina são agora anunciados na última edição da revista.

Luis Chiappe é o curador para a paleontologia dos vertebrados no Natural History Museum de Los Angeles e autor principal do artigo sobre o ovo argentino. 

O ovo argentino tem cerca de 100 M.a. e pensa-se que que tinha uma casca dura semelhante às dos ovos das aves actuais e dos dinossauros. Chiappe identificou o ovo como pertencendo a um réptil semelhante a um flamingo da espécie Pterodaustro guinazui. A descoberta, segundo ele, comprova o modo de vida comunal do animal.

"O nosso ovo foi encontrado entre muitos outros vestígios fósseis de indivíduos da mesma espécie, desde recém-nascidos a adultos, o que nos diz que estes animais nidificavam numa colónia e forneciam cuidados parentais às suas crias", diz ele.

Qiang Ji da Universidade Nanjing na China, descreveu com os seus colegas o segundo ovo agora descoberto. Tem 121 M.a. e parece apresentar uma casca "macia e semelhante a couro", semelhante à dos ovos dos crocodilianos e tartarugas actuais.

Bennett, que reviu os artigos sobre os dois ovos, diz que as cascas de ambos são muito finas e consistentes um com o outro em forma e aspecto. "A partir do que temos disponível, não me parece que tenhamos dois tipos diferentes de casca, ficaria muito surpreso se assim fosse", diz ele. 

 

Durante vários anos Chiappe e a sua equipa têm vindo a descobrir milhares de fosseis de um local conhecido por Loma del Pterodaustro na Argentina central. Todos os fósseis, com excepção de alguns fósseis de peixes, têm sido identificados como pterossauros do género Pterodaustro.

"Chegamos a um ponto em que temos uma amostragem tão numerosa, que começamos a pensar como pode ser possível que só encontremos Pterodaustro? Penso que deve ser algo relacionado com o ambiente", diz Chiappe.

Ele conclui que o local era pouco hospitaleiro para a maioria das formas de vida excepto para este pterossauro tipo flamingo. Talvez a zona fosse uma extensão de lagos salgados, semelhantes aos que atraem os flamingos para o alto dos Andes. Pterodaustro era um filtrador, tal como o flamingo, acrescenta ele. 

"Dada a quantidade de fósseis de todos as etapas da vida do animal, concluímos que eles não punham os ovos para, de seguida, os abandonar como faz a maioria dos répteis. Na realidade, guardavam os ninhos e provavelmente as próprias crias."

Bennett considera esta interpretação do local como uma colónia de Pterodaustro faz todo o sentido. "Ainda hoje observamos a mesma situação em aves marinhas, pelo que é razoável assumir que os pterossauros também o fizessem, mesmo que não fosse comum a todas as espécies."

A equipa chinesa considera que o novo fóssil se assemelha a um pterossauro do género Beipiaopterus, sendo mais longo e estreito que o pterossauro encontrado em Junho. Este novo fóssil foi encontrado na jazida de Yixian, tornada famosa pelas recentes descobertas associadas a dinossauros. 

 

 

Saber mais:

Nature

Pterossauros voavam como as aves

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com