2004-12-03

Subject: Descoberta nova espécie de dinossauro no Brasil

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida,             para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Descoberta nova espécie de dinossauro no Brasil

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

 

Cientistas brasileiros dizem que descobriram uma nova espécie de dinossauro. O animal, identificado a partir de fósseis, pensa-se que tenha vivido há mais de 200 milhões de anos, o que o torna um dos mais antigos dinossauros conhecidos da ciência.

A equipa de investigadores da Universidade do Rio de Janeiro diz ter encontrado fortes semelhanças entre este animal e outros fósseis encontrados na Europa, o que dá força à teoria de que as massas terrestres estiveram em tempos unidos num único super-continente durante o período Triássico.

Os vestígios fósseis foram descobertos em Água Negra, perto da cidade de Santa Maria, no estado do Rio Grande do Sul, por um idoso que passeava, Tolentino Marafiga. Em homenagem a ele, a nova espécie foi baptizada Unaysaurus tolentinoi.

Com base num modelo do dinossauro, apresentado no Museu Nacional do Rio de Janeiro, o animal deve ter pesado cerca de 70 Kg e 2,5 m de comprimento e 70-80 cm de altura.

Era, quase de certeza, um herbívoro, dizem os investigadores, que viveu no Triássico (225 M.a.), mas a parte genuinamente intrigante para a equipa foi a geografia.

"A análise preliminar mostra que é parente próximo do dinossauro europeu Plateosaurus, encontrado geralmente na zona da Alemanha", diz Átila da Rosa, um dos investigadores. Este será mais um argumento a favor do super-continente Pangea e sugere que dinossauros de espécies próximas foram dispersos por vastas áreas.

 

 

Outras Notícias:

Canadá proíbe barcos de pesca gronelandeses

 

O Canada anunciou a proibição da entrada dos barcos de pesca gronelandeses e das Ilhas Faroé nas suas águas, devido à sua pesca excessiva "altamente irresponsável" dos stocks de camarão ao largo da sua zona económica exclusiva.

O Canadá já tinha tomado medidas semelhantes contra os barcos das Ilhas Faroé em 2002 mas concedeu autorização de pesca novamente após o governo dinamarquês prometer cumprir as quotas definidas pela Northwest Atlantic Fisheries Organization.

Tanto a Groenlândia como as Ilhas Faroé estão sob a alçada da coroa dinamarquesa, neste último caso desde 1948.

O ministro federal das pescas Geoff Regan referiu que a Dinamarca tinha novamente permitido que os barcos ultrapassassem a sua quota de camarão na zona das águas canadianas. 

"Esta é uma importante questão ambiental internacionalmente, pelo que o governo dinamarquês optar por ignorar as quotas é altamente irresponsável", diz ele.

A pesca excessiva é um tópico muito sensível no Canadá, onde a outrora rica pesca do bacalhau ao largo da província atlântica de Newfoundland foi abandonada há quase 15 anos, para permitir a recuperação dos stocks. Este encerramento destruiu efectivamente um modo de vida com séculos de idade e levou dezenas de milhar de pessoas no desemprego. 

 

 

Saber mais:

Universidade do Rio de Janeiro

Redução do número de fêmeas pode ter extinguido dinossauros

Dinossauros não terão perecido numa bola de fogo

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com