2004-11-10

Subject: Aquecimento global perturba ecossistemas americanos

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Aquecimento global perturba ecossistemas americanos

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê os sites Born to be Wild/À Descoberta da Vida a conhecer a um amigo!!

 

O aquecimento global está alterar os modos de vida de animais e plantas através de todo o continente americano, alerta um estudo agora publicado. As alterações estão a colocar espécies rivais em contacto e podem mesmo destruir ecossistemas inteiros.

Ao longo das últimas décadas, muitas plantas começaram a florir mais cedo em resposta à subida das temperaturas e os animais migram para mais para norte ou deslocam-se para altitudes mais elevadas, refere Camille Parmesan da Universidade do Texas em Austin, uma das autoras do relatório.

Um exemplo desta situação é a raposa vermelha Vulpes vulpes, que já estava disseminada por toda a América do norte mas está agora a atingir latitudes mais elevadas, ameaçando a sua vulnerável prima a raposa do Árctico Alopex lagopus, diz Parmesan. Outros efeitos mais subtis também existem, como as aves alterarem o tempo de chegada aos locais de nidificação para darem por si com menos alimento ou espaço disponíveis. 

O relatório, publicado pelo Pew Center on Global Climate Change de Arlington, Virgínia, recolheu dados de 40 estudos ecológicos, alguns já com 100 anos. Os efeitos das alterações climáticas são visíveis em mais de metade dos estudos analisados pelos autores. 

"A mensagem é clara: as alterações climáticas provocadas pelo Homem têm vindo a afectar espécies de todos os Estados Unidos, desde a chegada de novas espécies tropicais à Flórida a alterações no funcionamento básico dos ecossistemas do Alaska," diz Parmesan.

 Quanto maior a taxa de aquecimento global, menor será o número de serão capazes de se adaptar sem perturbação do seu modo de vida ou ecossistema. Os peritos climáticos salientam que algumas zonas do Alaska aqueceram 4°C durante o século XX, comparado com uma média global de cerca de 0,6°C. Se as emissões de gases de estufa continuarem à taxa actual, este aquecimento poderá mesmo acelerar, temem eles. 

 

"Com o aquecimento previsto para este século a ser entre duas a dez vezes superior ao do último, estamos a caminhar para uma perturbação potencialmente irreversível da paisagem e da vida selvagem americana", alerta Eileen Claussen, presidente do Pew Center.

Os ambientalistas esperam que este relatório ajude os esforços para reverter os efeitos das alterações climáticas nos Estados Unidos, que em 2001 se retirou do protocolo de Kyoto, um acordo que ganhou novo fôlego com a ratificação por parte da Rússia.

"A comunidade internacional está a tomar medidas", refere Benjamin Preston, investigador ambiental do Pew Center, "a população americana tem que perguntar a si própria quando será tempo de responder a esse apelo. Esse tempo é agora."

 

 

Saber mais:

Pew Center on Global Climate Change

Vivendo acima das possibilidades do planeta

Habitat do urso polar ameaçado

Protocolo de Kyoto

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja voltar a receber o boletim News of the Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2001-04


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com