2004-11-06

Subject: Machos produzem óvulos no Potomac

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, em colaboração com o site educativo À Descoberta da Vida, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Machos produzem óvulos no Potomac

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Algo de muito estranho está a acontecer nas águas do rio Potomac: os cientistas descobriram que algumas percas macho estão a produzir óvulos, uma função obviamente feminina. 

Em Junho de 2002 tinham sido encontrados peixes mortos no canal sul do rio, pelo que a West Virginia Division of Natural Resources pediu ao U.S. Geological Survey (USGS) para examinar a saúde dos peixes nas águas perto da cidade de Moorefield, a cerca de 3 horas de Washington, D.C.

O estudo revelou que os peixes apresentavam lesões devidas a contaminantes químicos e biológicos, pelo que, no ano seguinte, um estudo mais rigoroso teve início. O USGS descobriu uma situação anormal de indivíduos intersexos, ou seja, com testículos e ovários simultaneamente. "Isto não era nada o que estávamos à espera", diz Vicki Blazer, uma patologista de peixes do Centro de Ciência de Leetown de Kearneysville. 

Cerca de 42% dos machos de perca de boca pequena analisados numa primeira etapa apresentavam sinais de desenvolvimento intersexual. Uma segunda amostragem revelou uma taxa ainda maior, 79% de anormalidades sexuais.

As descobertas deixaram os cientistas perplexos, que suspeitam de uma nova classe de contaminantes pouco compreendida. Estes incluem hormonas naturais excretadas pelo Homem e pelo seu gado, bem como químicos sintéticos que imitam essas hormonas. Estes químicos parecem confundir o sistema endócrino dos peixes, levando os machos a produzir células femininas.

Os químicos perturbadores do sistema endócrino funcionam como uma campanha de desinformação biológica. Imitando hormonas naturais como os estrogénios, alteram a concentração de outras hormonas, impedindo ou enfraquecendo o sistema de recepção de sinais das células. 

David O. Norris, professor do Departamento de Fisiologia Integrativa da Universidade do Colorado, especializou-se em endocrinologia ambiental e está a liderar um projecto de pesquisa sobre a poluição hormonal dos rios da área de Denver. "Estamos a analisar peixes a jusante e montante dos canais de efluentes das estações de tratamento e notámos que todos os problemas de anormalidades sexuais se encontram a jusante dos efluentes."

 

"A nossa impressão é que os machos estão a ser efeminizados devido à natureza dos químicos presentes na água, na sua maioria estrogénios", diz Norris. "Parte dos estrogénios são produtos naturais presentes na urina humana, outros são farmacêuticos, nomeadamente pílulas contraceptivas."  Norris também descobriu grande concentração de alquilfenóis, presentes em detergentes domésticos e produtos de higiene pessoal. 

"Estes produtos já foram associados a peixes na Europa", diz ele, "a principal diferença é que aqui a sua origem são os esgotos domésticos e não industriais. Este é um dos primeiros estudos que mostra que os esgotos domésticos podem ser o único factor por trás desta situação de desenvolvimento intersexual."

Quanto ao canal sul do Potomac, Norris, tal como o USGS, não tem a certeza de qual será a fonte da poluição. "É difícil dizer qual a fonte exacta mas penso que o efeito dessa fonte é muito claro, uma efeminização dos machos."

Blazer e a sua equipa estão a recolher dados de percas de outros rios, para comparar o seu modo de vida e tentar perceber esta população tem hábitos alimentares ou reprodutivos que a torna mais susceptível aos contaminantes. Segundo ela, os peixes são bons indicadores de alterações subtis na qualidade da água, embora a causa exacta das alterações sexuais ainda não seja clara. 

 

 

Saber mais:

Hermaphrodite Frogs Caused By Popular Weed Killer-

Leetown Science Center

David O. Norris Home Page

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild & À Descoberta da Vida, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com