2004-10-24

Subject: Vivendo acima das possibilidades do planeta

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Vivendo acima das possibilidades do planeta

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

O Homem está a consumir os recursos naturais da Terra 20% mais depressa do que a natureza os consegue renovar, um desequilíbrio muito perigoso que está a causar a extinção de muitas espécies e pode mesmo levar a escassez crítica de recursos nos anos mais próximos, alerta o relatório recentemente publicado pelo World Wildlife Fund.

Conduzida principalmente pelo consumo de materiais e energia dos Estados Unidos e outras nações industrializadas, a chamada pagada ecológica (medida pela quantidade de recursos naturais que consumimos) da humanidade aumentou 2,5 vezes nos últimos 40 anos. Esta é uma das tendências mais alarmantes reveladas na edição de 2004 do relatório do WWF Living Planet (PDF, 816k), um indicador que segue a abundância de espécies e recursos utilizados pelo Homem em todo o mundo.

O planeta alberga perto de 28 mil milhões de acres de terra produtiva e oceanos para alimentar 6,3 mil milhões de pessoas, uma média de 4,4 acres por pessoa. Com as taxas de consumo actuais, no entanto, a pegada ecológica global necessita de uma média de 5,4 acres produtivos por pessoa,  cerca de 20% mais do que é sustentável actualmente.

"Estamos a gastar o capital natural muito mais rapidamente do que está a ser gerado. Colectivamente, estamos a deixar aos nossos filhos o pior tipo de déficit, uma dívida ecológica de crescente proporção", diz Richard Mott, vice-presidente para a política internacional do WWF. 

A pegada ecológica anual de 5,4 acres representa uma média, mas o relatório mostra como o consumo varia grandemente de região para região. Os americanos, por exemplo, têm uma pegada ecológica de 23,5 acres, enquanto o africano médio consome menos de 2,5 acres de recursos por ano.

 

O consumo de energia, particularmente nos Estados Unidos mas também na Europa ocidental, é responsável por grande parte deste desequilíbrio. O componente energético da pegada, dominado pelo consumo de combustíveis fósseis não renováveis como o petróleo, carvão e gás, aumentou perto de 700% no período de 40 anos analisado (1961-2001). 

Para além do aumento generalizado do consumo, o relatório Living Planet também indica um declínio continuado de mais de 1100 espécies terrestres, aquáticas e marinhas, cujo efectivo decaiu perto de 40% entre 1970 e 2000.

O relatório faz várias recomendações sobre a forma de manter um nível de vida elevado e reduzir a pegada ecológica da humanidade, nomeadamente a utilização de fontes energéticas alternativas, renováveis e não poluentes, para reduzir o aquecimento global, reciclagem e redução de resíduos, encorajamento da utilização dos transportes públicos e inovações na construção de edifícios que os tornem mais eficientes do ponto de vista energético.

"Um estilo de vida sustentável não é incompatível com standards elevados", conclui Mott. "O nosso desafio como sociedade é encontrar forma de viver dentro das capacidades do planeta, e fazê-lo antes que seja tarde demais."

 

 

Saber mais:

Calcule a sua Pegada Ecológica

World Wildlife Fund

Living Planet Report

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com