2004-09-07

Subject: Papagaios falam línguas

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Papagaios falam línguas

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Alguma vez pensou o que torna os papagaios capazes de imitar a fala humana? Parece que os nossos amigos emplumados usam a língua para criar sons do tipo vogal, tal qual nós fazemos.

Na fala humana, o som é produzido na laringe e pode ser, de seguida, modificado pelo movimento da língua na cavidade bocal. Isto ajuda-nos a formar sons complexos de vogais e consoantes.

Até agora, muitos investigadores pensavam que as aves produziam e modificavam os sons do canto na estrutura equivalente à laringe nas aves, designada siringe, e que a língua não desempenhava qualquer papel nesta função.

Mas é reconhecido que os papagaios deslocam a sua língua carnuda para a frente e para trás quando "falam", pelo que Gabriel Beckers da Universidade de Leiden na Holanda, decidiu verificar se estes movimentos contribuem para o enorme talento destas aves para a imitação de sons.

A sua equipa estudou vários exemplares de papagaios monge selvagens Myiopsitta monachus, que tinham sido capturados e abatidos como parte de um programa governamental de controlo de animais daninhos na Flórida. Em cada ave, substituíram a siringe por um minúsculo aparelho de sons electrónico e seguidamente usaram um gancho para deslocar a língua para a frente e para trás, enquanto o amplificador produzia sons. 

Movimentos da língua de menos de 1 mm fizeram uma enorme diferença na qualidade dos sons do tipo vogal, designados formantes, descobriram os investigadores. A diferença é maior do que a que existe entre o 'a' e o 'o' na fala humana, diz Beckers.

Beckers pensa que a capacidade das aves para manipular a língua de forma a produzir sons de vogais está na base do seu talento na imitação.

Os papagaios devem usar o mesmo tipo de som na sua comunicação natural, refere Irene Pepperberg do Massachusetts Institute of Technology, que estuda as vocalizações das aves. Diferenças subtis nos sons são muito importantes para estas aves.

 

A maioria das aves canoras macho, por exemplo, apenas canta em certas épocas do ano e com o objectivo de atrair fêmeas, mas os papagaios, tanto machos como fêmeas, comunicam o tempo todo, refere Pepperberg. Provavelmente utilizam formantes e outro tipo de vocalizações para transmitir informação complexa, como a identidade individual e ameaças de predadores.

A descoberta sugere que a comunicação nos papagaios pode ser mais complexa do que se pensava, considera Beckers, e Pepperberg tem experiência em primeira mão nesta área.

A sua equipa estudou um papagaio cinzento africano, de nome Alex, em laboratório durante 27 anos. Alex pode articular sons para objectos, formas, cores e materiais, conhece os conceitos de igualdade e diferença, e chega mesmo a dar ordens aos ajudantes de laboratório.

Pepperberg alega que a capacidade de formar sons de vogais não é um acaso. Ela pensa que contribui para a riqueza da linguagem dos papagaios.

O estudo agora publicado sugere que a capacidade de produzir sons formantes evoluiu pelo menos duas vezes, uma vez nos papagaios e outra no Homem, considera Beckers. A articulação da língua dá uma dimensão extra à complexidade vocal, um fenómeno que tem provado ser muito útil para ambas as espécies. 

 

 

Saber mais:

The Alex Foundation

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com