2004-09-06

Subject: Carne "amiga" das chitas está para breve

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Carne "amiga" das chitas está para breve 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Um grupo de activistas dos direitos dos animais espera ajudar a salvar um dos felinos selvagens mais severamente ameaçado de África vendendo carne "amiga" das chitas na União Europeia.

Os criadores de gado namibianos que decidam não causar qualquer dano aos felinos, receberá um selo de aprovação do Cheetah Conservation Fund, para que possam vender a sua carne a preços mais elevados. 

A Namíbia é o lar de cerca de 30000 chitas, a maior população restante no mundo, mas até recentemente, os criadores de gado abatiam os felinos à vista, por os considerarem um perigo para o gado e causa de prejuízos. 

A ideia é semelhante à do atum "amigo" dos golfinhos, selo que certifica que não houve golfinhos capturados nas redes de atum e a CCF já pagou aos criadores um subsídio para pagar um cão pastor da Anatólia para manter as chitas afastadas, algo muito melhor que abate-las a tiro.

Temos esperança que os criadores se apercebam que podem vender a sua carne a bom preço se obtiverem o selo, o que terá, com certeza, resultados espectaculares.

Os cães têm sido muito eficazes porque, apesar das chitas serem muito velozes, não são animais muito destemidos, explicam os funcionários da CCF. 

Outros criadores de gado namibianos têm utilizado burros para guardar o gado, o que também parece ter funcionado muito bem a manter os felinos à distância.

O CCF espera ter o esquema do selo para a carne totalmente montado no início de 2005, com a promoção de bife de primeira e a realização de conferências. 

 

Outras Notícias:

Bebés preferem caras bonitas

 

A Universidade de Exeter publicou um estudo que revela que os bebés já nascem com preferências que os ajudam a perceber o seu novo ambiente.

Foram mostradas aos recém-nascidos duas imagens, lado a lado, uma de uma cara atraente e outra de uma cara menos atraente. Os investigadores descobriram que os bebés passam mais tempo a olhar para a face mais atraente, mesmo quando as faces têm as mesmas características. 

Esta capacidade ajuda-os a reconhecer faces familiares, mesmo apesar da sua visão ser, inicialmente, desfocada. Os bebés são capazes de distinguir a face da mãe de qualquer outra face feminina estranha apenas 15 horas após o nascimento.

Os investigadores descobriram que os bebés passam perto de 80% do tempo a olhar para a face atraente do par de imagens, provando que a beleza não está nos olhos do amante mas no cérebro, desde o momento do nascimento. 

 

 

Saber mais:

Cães pastores ajudam a proteger chitas

Africat

Cheetah Conservation Fund

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com