2003-10-26

Subject: Descoberta nova espécie de ave venezuelana

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do Boletim Informativo Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Descoberta nova espécie de ave venezuelana 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Investigadores descobriram uma nova espécie de pardal mas o seu habitat nativo, numa pequena ilhota fluvial já foi destruído para dar lugar a uma barragem. 

A nova espécie foi designada pardal de Carrizal Amaurospiza carrizalensis em homenagem à minúscula ilhota em que foi descoberto. Apenas 3 aves foram observadas na Isla Carrizal, no leste da Venezuela, pelo que não é conhecido o efectivo real da pequena ave. No entanto, apesar da perda do seu único habitat conhecido, os investigadores estão ansiosos por promover novas expedições para verificar se a espécie pode ser encontrada noutras zonas vizinhas. 

A descoberta deste novo tipo de pardal foi uma surpresa mesmo para os investigadores Miguel Lentino e Robin Restall, que realizam estudos para organizações internacionais de protecção das aves na Venezuela, pois o rio Caroni, localizado na bacia do Orinoco é uma zona bem estudada. 

O motivo porque não tinha sido descoberto até agora deve-se a viver em bambus espinhosos, praticamente impenetráveis, tanto visualmente como fisicamente, bem como o facto da ilhota Carrizal ser inabitada. 

Examinando as 3 aves encontradas, Lentino e Restall identificaram-nas como pertencendo a uma espécie diferente devido ao seu bico maior e a pequenas diferenças da plumagem. O macho é cinzento escuro com pequenas manchas azuladas, enquanto a fêmea é amarela-acastanhada. Outro importante factor foi geográfico: não existem outras aves deste grupo que se alimentem de sementes na Venezuela, os seus parentes mais próximos estão do outro lado dos Andes, na Colômbia e no Equador.

 

 

 

 

A ave apenas foi descoberta por ter sido encomendado pela companhia de electricidade EDELCA um estudo da biodiversidade da zona, antes do início da construção da barragem Tocoma, no rio Caura. A ilha Carrizal, como propriedade da EDELCA, já estava prestes a ser desflorestada como parte das obras. 

Um dos motivos para o estudo era descobrir o que poderia compensar o abate do bambu espinhoso. Por essa altura a ave ainda não tinha sido identificada como uma nova espécie, pelo que a ilha foi arrasada antes da sua importância ter sido devidamente reconhecida. 

O bambu espinhoso Guadua existe em vastas manchas ao longo de toda a bacia do Caroni, pelo que os investigadores estão convencidos a ave deve poder ser encontrada novamente. 

A EDELCA está decidida a empreender uma nova busca pela ave nas redondezas, pois até ao momento tal não aconteceu, apesar da existência de bambu. A companhia ofereceu apoio logístico a uma nova expedição mas tem fundos limitados para a conservação. 

Esta nova sensacional descoberta foi, assim, parcialmente descolorida pelo reconhecimento que se está a destruir o local onde se alojou durante tanto tempo, o que pode ameaçar a sua sobrevivência futura.

 

Saber mais:   

BirdLife Internacional

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo?? 

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com