2004-08-03

Subject: Esquilos emitem "gritos silenciosos"

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Os esquilos terrestres emitem um sinal de alarme tão agudo que não conseguimos ouvi-lo, revelam os cientistas no último número da revista Nature

Enquanto estudavam os pequenos roedores, os investigadores notaram que alguns deles emitiam leves sons sussurrados, como se tivessem perdido a voz. Mas quando estes "gritos silenciosos" foram processados através de um detector de morcegos foram detectados ultra-sons em enorme quantidade.

Os investigadores acreditam que os sussurros possam ser uma espécie de gritos de alarme secretos, que os predadores não podem ouvir. Está bem documentado que os morcegos usam chamamentos ultra-sónicos para localizar a presa, mas noutros animais, a utilização destes sons extremamente agudos não é bem compreendido.

Os cientistas sabem que alguns roedores emitem ultra-sons, mas nunca determinaram exactamente a sua utilidade. O problema é que os sons são utilizados pelos roedores numa enorme variedade de situações, causando uma enorme variedade de respostas. Assim, é complicado para os observadores perceber as circunstâncias em que são usados.

Mas, finalmente, os investigadores detectaram um chamamento ultra-sónico que, pensam, tem um significado claro. James Hare, da Universidade de Manitoba, fez a descoberta enquanto estudava os esquilos terrestres de Richardson Spermophilus richardsonii, que vive nas pradarias da América do Norte.

Ele estava a tentar descobrir de que forma os animais reconhecem os sinais sonoros audíveis dos seus pares, quando se apercebeu de algo estranho. Por vezes, os esquilos abriam a boca, como para emitir um chamamento, mas apenas se ouvia um leve respirar.

Estava a gravar os gritos de alarme dos esquilos de Richardson quando notei um esquilo que parecia ter perdido a voz, explica Hare. Posteriormente notou outros que pareciam ter o mesmo "problema", mas como as suas vozes "iam e vinham" apercebeu-se que algo mais se passava.

 

Ele suspeitou que os esquilos estavam a comunicar usando sons fora do alcance do ouvido humano. Para testar a sua teoria, arranjou equipamento especial, usado normalmente para "ouvir" gritos de morcego. O instrumento abranda a velocidade dos sons, tornando-os menos agudos e permitindo que o ouvido humano os capte.

Quando pedi emprestado um aparelho desses, o detector revelou imensos ultra-sons, diz Hare. Ele e o seu colega David Wilson analisaram os sons e descobriram que eram emitidos em reacção a uma ameaça, desencadeando uma resposta nos outros esquilos.

Os esquilos terrestres de Richardson também emitem gritos de alarme audíveis, que parecem causar um resposta mais dramática na sua "audiência". Assim, os sons sussurrados podem indicar um nível de alarme ligeiramente inferior.

Os investigadores pensam que os esquilos podem ter desenvolvido os ultra-sons para que possam comunicar com os seus vizinhos sem que os predadores se apercebam. Os chamamentos ultra-sónicos são direccionados, pelo que um esquilo pode chamar selectivamente os seus, sem que outros oiçam. 

As limitações de alcance podem ter sido favorecidas porque reduzem a possibilidade de detecção do emissor ou porque limitam a audiência, refere Hare.

A comunicação ultra-sónica é, provavelmente, bem mais disseminada nos reino animal do que se pensa, pela simples razão de que não a pudemos ouvir, conclui Hare. 

 

 

Saber mais:

Nature

Science in search of the low rumble

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com