2003-10-25

Subject: Maioria das morsas são dextras

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do Boletim Informativo Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Maioria das morsas são dextras

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

A morsa foi acrescentada à cada vez maior lista de animais que aprecem preferir a utilização de um membro ao outro, sejam eles mãos ou barbatanas. Este mamífero marinho de longas presas tem tendência para usar a sua barbatana direita para recolher bivalves no fundo do mar, revelaram cientistas. 

Estudos anatómicos confirmam que os ossos do membro anterior direito da morsa são mais longos que o do esquerdo, exactamente a mesma situação que pode ser encontrada nos humanos dextros. 

Esta preferência por um lado do corpo para a realização de certas tarefas já foi confirmada em chimpanzés, macacos e mesmo corvos, pelo que não parece surpreendente que se encontre nos mamíferos marinhos. 

Este fenómeno é estudado há muito no Homem, mas, após 150 anos de pesquisas, os cientistas ainda estão divididos sobre o motivo porque os dextros ultrapassam largamente os canhotos na população. Parece existir uma relação com a forma como o cérebro está organizado em duas metades, permitindo que cada uma delas se especialize em certas funções. 

Tem sido postulado que a preferência por um lado do corpo terá surgido nos Primatas e está de alguma forma relacionada com o desenvolvimento da fala e/ou da habilidade para construir ferramentas. No entanto, as últimas descobertas, como a do corvo da zona do Pacífico que usa apenas o lado direito do bico para talhar folhas e ramos em ferramentas para capturar insectos (ver Outras Notícias), parecem pôr esse postulado em causa.

Muitos cientistas consideram que a a escolha de um dos lados do corpo deriva da manipulação de ferramentas, mas essa não pode ser a principal razão em morsas, ou mesmo em baleias de bossa ou peixes-gato, comentou Nette Levermann, da universidade de Copenhaga. 

Observações de baleias de bossa revelaram que estas usam preferencialmente um dos lados da mandíbula para a captura de presas. As focas das águas da Escócia também revelam este tipo de preferência, pois tendem a usar a barbatana direita para espantar as enguias de que se alimentam da arei onde se escondem. Prova deste comportamento é que as garras da barbatana direita se desgastam mais rapidamente que as da esquerda. 

Os investigadores não consideram surpreendente que a preferência por um dos lados do corpo surja em animais com simetria bilateral, pois todas as tarefas que impliquem a utilização de apenas um dos membros podem ser aprendidas mais facilmente por um dos lados do corpo. 

 

 

 

Outras Notícias:

Corvos inteligentes inclinam-se para a direita

Corvo da Nova Caledónia

Uma inteligente espécie de corvo, Corvus moneduloides, nativa da Nova Caledónia, está a chamar a atenção para a possível causa da dextria no Homem. 

A ave rasga pedaços de folhas, transformando-os em ferramentas para a remoção de insectos do tronco de árvores. No entanto, quando o faz quase sempre utiliza o lado direito do bico. 

Esta preferência por um dos lados do corpo é mais conhecida no Homem e outros Primatas, como gorilas e chimpanzés, pelo que a sua descoberta numa ave levanta a questão de como terá surgido. 

Gavin Hunt da universidade de Auckland, Nova Zelândia, considera que a capacidade de fabricar ferramentas dos corvos é extremamente desenvolvida, fazendo uso de manipulação fina. Considera mesmo que os corvos têm uma capacidade superior à dos chimpanzés. 

Investigadores consideram que a tendência para ser dextro na espécie humana resulta da habilidade para falar, uma capacidade controlada pelo hemisfério que comanda o lado direito do corpo. A descoberta desta dextria nos corvos leva a que se considere uma origem mais geral para o fenómeno.

Transformar uma folha numa ferramenta de captura de insectos requer um esforço cerebral considerável, logo estes investigadores propõem que a preferência por um dos lados do corpo seja o resultado da capacidade de realizar sequências complexas de acções. Essa sequência pode resultar no fabrico de uma ferramenta ou na fala. 

Seja como for, a concentração do esforço cerebral num dos hemisférios parece aumentar a eficiência, o que parece ter como consequência directa a preferência por um dos lados do corpo. 

 

 

Saber mais:   

Introduction to tool use in New Caledonian crows

Nerc Sea Mammal Research Unit

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo?? 

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2003


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com