2004-07-15

Subject: Infecção mata papagaios ameaçados

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Infecção mata papagaios ameaçados 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

KakapoTrês exemplares da espécie de ave mais ameaçada do mundo, os papagaios kakapo Strigops habroptilus que apenas vivem nas ilhas de Codfish e Chalky ao largo da costa neozelandesa, foram mortos por uma infecção, revelaram as autoridades locais.

Antes da infecção causada por uma estirpe letal de bactérias do solo ter início, já restavam apenas 86 papagaios kakapo na Nova Zelândia. O Departamento de Conservação (DoC) respondeu prontamente ao surto infeccioso, administrando às restantes aves um tratamento de emergência de antibióticos.

As aves ou ingeriram ou foram infectadas de alguma forma pela bactéria Erysipelas, que penetra na corrente sanguínea e envenena o sangue, explica Paul Jansen, chefe da equipa encarregue dos papagaios no  DoC. As boas notícias são que já sabemos o que está a acontecer e temos as ferramentas adequadas para lidar com a situação.

As 3 aves que morreram, eram fêmeas jovens de nome Aroha, Aurora e Vollie e tinham nascido no Verão de 2002. Elas e 16 outros juvenis tinham acabado de ser transferidos da ilha de Codfish (Whenua Hou), localizada ao largo da ponta sul da Nova Zelândia, para a ilha Chalky (Te Kakahu).

Depois de se aperceber do que estava a causar a morte das aves, o DoC entrou imediatamente em acção, administrando às 24 aves sobreviventes na ilha Chalky antibióticos e verificando o estado de saúde das aves que vivem na ilha Codfish. 

Estamos a construir recintos na ilha Chalky e uma equipa está neste momento a recolher as primeiras 5 fêmeas. Estas serão tratadas ao longo dos próximos 5 dias e depois libertadas, refere Jansen. Mesmo os animais que não apresentem sintomas vão ser medicados, à cautela.

 

O DoC tinha acabado de deslocar alguns juvenis para a ilha Chalky e transferir 12 outras aves mais velhas de volta à ilha Codfish, pelo que todas as aves desta última também estão a ser analisadas mas nenhuma apresentou sintomas, até agora, continua Jansen.

O DoC não tem a certeza de como as aves terão sido contaminadas pela bactéria, mas Jansen considera provável que tenha sido durante a transferência entre as ilhas, talvez através do manuseio, pois a bactéria também existe no corpo humano.

Em tempos, os papagaios kakapo habitavam todo o território continental da Nova Zelândia, desde o nível do mar até às montanhas, mas agora estão confinados às ilhas ao largo da costa. 

O objectivo destas transferências é garantir que todas as aves da ilha Codfish estejam na idade óptima de reprodução a tempo da próxima rimu mast, a prolífica época de produção de sementes que desencadeia o acasalamento nos papagaios kakapo. A última vez que ocorreu uma rimu mast, no ano de 2002, 24 crias kakapo foram chocadas, incluindo as 3 fêmeas agora mortas. 

O papagaio kakapo é uma ave gorducha de plumagem verde, de hábitos nocturnos e com um característico odor almiscarado. Não voa mas é capaz de trepar às árvores. O chamamento dos machos tem uma frequência muito baixa, razão porque o escritor Douglas Adams o designou "bater do coração da noite", podendo alcançar distâncias superiores a 5 Km. 

A população do papagaio reduziu-se a apenas 50 aves em meados dos anos 90 do século passado, mas um esforço conservacionista intenso permitiu aumentar o seu número nos últimos anos.

 

 

Saber mais:

Kakapo Recovery Programme

Strigops habroptilus - IUCN Red List

DoC New Zealand

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com