2015-04-20

Subject: Órgãos impressos a caminho de um corpo perto de si

Órgãos impressos a caminho de um corpo perto de si

Dificuldades em visualizar este e-mail? Consulte-o online!

Newsletter não segue Acordo Ortográfico

@ Nature/Frank Wojciechowski

O advento da impressão tridimensional (3D) gerou uma onda de interesse nos órgãos artificiais criados com o objectivo de substituir, ou mesmo melhorar, a maquinaria humana.

Os órgãos impressos, como o protótipo de um pavilhão auditivo desenvolvido por investigadores na Universidade de Princeton em Nova Jérsia e na Universidade Johns Hopkins em Baltimore, Maryland, estiveram na agenda da conferência Inside 3D Printing em Nova Iorque de 15 a 17 de Abril. O ouvido foi impresso a partir de uma série de materiais: um hidrogel para formar uma estrutura em forma de ouvido externo, células que cresceram para formar cartilagem e nanopartículas de prata para formar uma antena. O dispositivo é apenas um exemplo da crescente versatilidade da impressão 3D.

O encontro de Nova Iorque, considerado o maior evento desta indústria, revelou muitas novidades mas mais importantes foram as discussões sérias sobre o mercado emergente de partes de corpo impressas.

Esse negócio está actualmente focado na substituição das articulações de anca de titânio, que podem ser ajustadas a cada indivíduo, e ossos poliméricos feitos por encomenda para reconstruir crânios danificados e dedos. As partes de corpo impressas valeram US$537 milhões no ano passado, um aumento de 30% em relação ao ano anterior, diz Terry Wohlers, presidente da Wohlers Associates, uma firma de consultores de Fort Collins, Colorado, especializada em impressão 3D.

Os cientistas já estão a olhar para tecnologias radicais emergentes que usam células vivas como 'tinta', montando-as camada a camada em tecidos rudimentares, diz Jennifer Lewis, bioengenheira na Universidade de Harvard em Cambridge, Massachusetts.

A firma de bio-impressão Organovo de San Diego, Califórnia, já vende esses tecidos a investigadores que têm como objectivo testar medicamentos experimentais em relação à toxicidade para células de fígado. O próximo passo da companhia será fornecer enxertos de tecido impresso para reparar fígados danificados em humanos, diz o executivo-chefe da Organovo, Keith Murphy.

Lewis hesita em dizer que a impressão 3D será capaz de fornecer órgãos inteiros para compensar a carência de rins e fígados disponíveis para transplante: “Adoraria que isso fosse verdade”, diz ela. “Mas essas são arquitecturas altamente complicadas.”

 

 

Saber mais:

Células estaminais de nova geração aprovadas para testes em humanos

Tratamento contra cancro liberta dois australianos do HIV

Terapia génica cria pacemaker biológico

Fígado miniatura crescido em ratos

Hormona do sangue devolve juventude a corações de ratos velhos

Coração 'fantasma' bate de mansinho 

 

 

Facebook simbiotica.orgTwitter simbiotica.orgGoogle + simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org Pinterest simbiotica.org

 

Arquivo  |  Partilhar Comentar |   Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  Subscrever | @ simbiotica.org, 2015


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com