2004-07-01

Subject: Mares europeus em crise

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Mares europeus em crise 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

A sustentabilidade da industria de pesca europeia é um dos maiores desafios que a União enfrenta, com um excesso de pescadores e uma carência de peixe. 

Tanto ambientalmente como economicamente, os resultados da pesca excessiva já são desastrosos, com numerosas espécies à beira do colapso e comunidades pesqueiras com o seu modo de vida destruído. Agora, cientistas, ambientalistas e, finalmente, pescadores exigem medidas novas e radicais.

O mar ao largo dos Açores e a oeste da costa norueguesa são zonas críticas de avaliação da sustentabilidade das pescas. Nos Açores, o equilíbrio delicado entre a natureza e o comércio, política seguida nas ilhas desde há séculos, pode ser perdido de um dia para o outro com a abertura das águas às frotas pesqueiras estrangeiras.

Na Noruega, os pescadores estão hoje a colher os substanciais frutos de uma das políticas conservacionistas mais rigorosas, que incluiu uma proibição da pesca de arenque de 10 anos, aplicada em meados dos anos 70 do século passado.

Estas histórias de sucesso são raras e distanciadas na pesca moderna, sendo muito interessante notar que ocorreram fora do controlo da União Europeia e da sua Política Comum de Pescas. 

Nos Açores, a pesca tradicional terá, a partir do início de Agosto, que competir com as redes gigantescas e linhas com mais de 80 Km de comprimento das frotas estrangeiras, nomeadamente espanhola.

O arquipélago é um caso único em vários aspectos. As ilhas vulcânicas não têm em volta placa continental, logo as espécies de águas profundas que habitam as suas águas são extremamente vulneráveis. Estes animais têm grande longevidade, alguns vivem até 200 anos, e iniciam o processo reprodutor muito tarde, em média com 30 anos de idade. 

 

Peritos como o professor Callum Roberts, da Universidade de York, comparam a abertura da zona às grandes frotas pesqueiras a bombardear os stocks pesqueiros, será algo de que nunca recuperarão. Após cálculos rápidos, o professor considera que os stocks pesqueiros açoreanos desaparecerão num prazo de 18 dias a 3 meses, após as águas serem abertas ao resto das frotas da União.

O professor é conselheiro do governo açoreano num processo que está a ser instaurado no Tribunal europeu contra a Comissão Europeia, em Bruxelas. A Comissão, por seu lado, assegura que existirão salvaguardas para garantir a protecção dos stocks pesqueiros e que a opinião dos locais será tida em conta na gestão dos recursos, mas acrescenta que o mar dos açores não pode pertencer exclusivamente aos ilhéus.

A Noruega é outra zona da Europa onde a pesca tem desempenhado um importante papel na economia e no modo de vida. O país policia com vigor a sua zona económica exclusiva de 200 milhas, sendo responsável pela sobrevivência do bacalhau e do arenque nas águas do Mar de Barents, através da proibição total da sua pesca. 

Os pescadores locais pagaram um preço elevado nos anos 70 do século XX, aquando da proibição, mas agora os stocks são novamente elevados, uma lição a lembrar antes de "esvaziar" o mar. 

 

 

Saber mais:

Política Comum de Pescas da União Europeia

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com