2004-06-29

Subject: Pandemia eminente com mutações na gripe das aves 

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Pandemia eminente com mutações na gripe das aves 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

O vírus da gripe das aves está a sofrer mutações e a tornar-se cada vez mais perigoso para os mamíferos, revelaram os investigadores. A descoberta reforça os receios de uma pandemia humana da doença, que pode ainda ocorrer.

A gripe das aves chegou aos jornais em 1997, quando uma estirpe designada H5N1 "saltou" das galinhas para o Homem, matando 6 pessoas em Hong Kong. Num espaço de 3 dias, toda a população de galinhas do país foi abatida e o surto foi controlado.

Desde então, novas estirpes de vírus têm emergido, matando 14 pessoas. Até agora, nenhuma destas estirpes conseguiu a capacidade de contágio pessoa a pessoa, mas se uma estirpe mais virulenta surgir, teme-se que despolete um surto generalizado que afecte milhões de pessoas.

Agora, estudos genéticos e animais mostram que o vírus está a tornar-se mais ameaçador para os mamíferos, pelo que é necessária acção imediata para impedir a sua transmissão, refere Hualan Chen, do Harbin Veterinary Research Institute, envolvido na pesquisa agora revelada.

Chen e seus colegas estudaram 21 amostras de vírus H5N1 retiradas de patos aparentemente saudáveis, que funcionam como reservatórios naturais da doença, do sul da China entre 1999 e 2002. Os investigadores inocularam grupos de galinhas, ratos e patos com amostras de vírus retiradas de diferentes anos e verificaram que animais adoeciam. 

Como seria de esperar, os patos eram imunes aos efeitos do vírus e todas as galinhas adoeceram. No entanto, os ratos também adoeceram, perdendo peso e mesmo o uso das patas. Uma descoberta crucial foi que a gravidade da sua doença estava associada ao ano da amostra, pois os vírus isolados em 2001 e 2002 eram mais perigosos que os de anos anteriores.

 

Estas descobertas indicam que, por volta de 2001, o vírus aumentou a sua capacidade de infectar mamíferos. Análises genéticas das mesmas amostras mostraram que o DNA viral tem mudado ao longo do tempo, sugerindo que o acumular de mutações tem contribuído para o aumento da sua virulência.

Os investigadores estão preocupados com a possibilidade de o vírus ter adquirido a capacidade de infectar o Homem, juntamente com a já demostrada de infectar ratos. A doença pode ressurgir a qualquer momento, alerta a virologista Marion Koopmans, do National Institute of Public Health and the Environment na Holanda.

Estas descobertas acentuam o facto de ser urgente uma vigilância atenta, que garanta que qualquer surto futuro seja imediatamente controlado. Apesar das aves de capoeira serem facilmente abatidas, os animais selvagens são muito mais difíceis de conter, não é possível erradicar o reservatório natural, continua Koopmans, logo temos que aprender a viver com ele.

As aves podem não ser as únicas vilãs desta história, no entanto. Chen acredita que os porcos também desempenham um papel importante. Na Ásia, as galinhas e os porcos são frequentemente mantidos juntos, pelo que o vírus pode ter andado entre as duas espécies, acumulando mutações e aumentando a sua capacidade de infectar hospedeiros mamíferos. É possível que o Homem tenha apanhado a doença dos suínos. 

 

 

Saber mais:

WHO- Avian Influenza

Ducks brew straight-to-human flu

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com