2004-06-17

Subject: Esquilos utilizam infravermelhos contra cobras

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Esquilos utilizam infravermelhos contra cobras 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Se tiver que enfrentar uma cobra cascavel irritada, provavelmente ficará congelado de medo, mas os esquilos terrestres da Califórnia adoptam a abordagem contrária: levantam e aquecem a cauda de forma a avisar a cobra que não irão render-se sem luta. 

Esta é a primeira vez que se provou que um animal envie um determinado sinal utilizando radiação infravermelha (calor), refere Aaron Rundus, da Universidade da California, que apresentou a descoberta no encontro anual da Animal Behavior Society. 

As cobras cascavéis são uma ameaça constante para os esquilos, capturando muitos juvenis. Esta ameaça resulta em agressivos duelos entre esquilos adultos e cobras, em que os roedores levanta terra e brande a sua cauda felpuda, numa tentativa de importunar suficientemente o réptil e o levar a desistir. 

As cobras capturam a grande maioria das presas através da detecção do calor dos seus corpos, através da utilização de fossetas sensíveis localizadas nas faces. A nova descoberta mostra que os esquilos tiram partido desta sensibilidade, transmitindo a sua mensagem ameaçadora numa linguagem que a cobra pode entender. 

Rundus colocou esquilos capturados na natureza numa gaiola com uma cascavel e filmou o duelo resultante com a ajuda de uma câmara de infravermelhos. À medida que os esquilos brandiam a sua cauda ameaçadoramente, esta ficava cada vez mais quente.

Os esquilos atingem este efeito eriçando a pelagem da cauda de forma a expor a pele e, talvez, dilatando os capilares sanguíneos localizados à superfície, explica Rundus. Ainda mais interessante, as caudas não aqueceram quando os esquilos eram colocados numa gaiola com cobras touro Pituophis melanoleucus, um predador que não apresenta fossetas sensíveis aos infravermelhos. Este facto mostra que os esquilos conseguem reconhecer diversos predadores e reagir de acordo com a situação. 

 

Isto é extremamente intrigante, considera Jim Hare, que estuda os esquilos terrestres da Califórnia na Universidade de Manitoba, não tinha nenhuma ideia de que tivessem este comportamento. Hare acrescenta que os esquilos terrestres são conhecidos por responder de forma diferenciada a uma vasta gama de predadores, alertando os seus parceiros para o perigo.

O sinal calorífico pode funcionar como manobra de diversão para a cobra, desviando a sua atenção dos juvenis mais vulneráveis, sugere Rundus, ou simplesmente como um indicador da presença do adulto. No entanto, os esquilos não estão totalmente a salvo, pois apesar das cascavéis raramente devorarem adultos, um duelo pode facilmente resultar na morte ou em ferimentos sérios.

Rundus pretende manipular o efeito para verificar de que forma as cascavéis reagem a esquilos "não aquecidos". O problema é como obter esse efeito: tentei de tudo, mas é muito difícil não afectar também o comportamento, explica. Para esse efeito, Rundus construiu um esquilo-robot, um animal empalhado com um aparelho de aquecimento na cauda, que irá testar em breve.

 

Saber mais:

Grey squirrels nick reds' nuts

Animal Behaviour Society Meeting

American International Rattlesnake Museum

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com