2004-06-13

Subject: Pitões de estimação invadem os Everglades

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Pitões de estimação invadem os Everglades

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Em Fevereiro, um grupo de turistas assistiu do miradouro de Pa-hay-okee no Everglades National Park a uma batalha invulgar: uma pitão e um aligátor. 

Por agora, os aligatores dos Everglades da Flórida estão a conseguir resistir à cobras invasoras mas a sorte pode estar prestes a mudar. O parque está a ser invadido por pitões birmanesas, uma das maiores cobras do mundo, que podem crescer até 6 metros de comprimento no seu habitat natural do sudeste asiático. 

A pitão da Birmânia é apenas uma das milhares de espécies de animais e plantas exóticas que têm invadido os Estados Unidos na última década. A factura económica dos danos causados pelas espécies exóticas, incluindo o seu controlo, é gigantesco: U.S. $137 biliões por ano, de acordo com um estudo de 1999 da Universidade de Cornell. 

A factura ecológica é igualmente assustadora, pois apenas a perda de habitat apenas fica à frente das espécies exóticas como causa de extinção de espécies nos Estados Unidos e no mundo. Mais de metade das espécies americanas ameaçadas são-no, pelo menos em parte, pela introdução de espécies. 

As pitões birmanesas são muito populares e são importadas legalmente como animais de estimação. Nos últimos 5 anos, foram importadas mais de 144000 destes animais, que podem ser adquiridas por $20. Mas quando as pequenas cobras atingem os 5 metros, alguns destes donos entusiastas podem ver-se livres delas libertando-as na floresta. 

Todas as pitões birmanesas que temos no parque são resultado do comércio internacional de animais selvagens, explica Skip Snow, biólogo da vida selvagem do Everglades National Park. Desde meados dos anos 90 do século passado que os vigilantes capturaram ou mataram 68 destas cobras no parque.  

Actualmente, é quase certo que as pitões se estejam a reproduzir no parque, onde foram encontradas a devorar esquilos, opossuns, ratazanas e galinhas. Não só devem estar a alimentar-se de aves e pequenos mamíferos nativos, como estarão em competição directa com a cobra indigo, listada como ameaçada. 

 

Muitos peritos criticam a administração americana por ter sido demasiado lenta a agir contra estes animais e plantas. Uma vez estabelecidas, são virtualmente impossíveis de irradicar, refere Ken Burton, porta-voz do Fish and Wildlife Service, na melhor das hipóteses apenas conseguimos controlá-las. 

Para Dean Wilkinson, coordenador das espécies invasoras para a National Oceanic and Atmospheric Administration, considera que é necessária uma nova abordagem. Temos lidado com esta situação como problemas individuais, mas agora reconhecemos que este é um importante problema ambiental e económico. 

O incremento do comércio e das viagens tem exacerbado o problema desta poluição biológica. O aeroporto internacional de Miami recebe 70 carregamentos de animais e plantas exóticos por dia, alguns com milhares de animais, como tarântulas, lagartos e cobras. 

Muitas destas espécies são importadas ilegalmente, pois apenas 1 ou 2% dos contentores são realmente abertos e inspeccionados. 

 

 

Saber mais:

Freed Pet Fish Threaten Native Species, Study Says

Invasive Species Specialist Group

Everglades National Park

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com