2013-11-10

Subject: Descoberto o gene da fonte da juventude?

 

Descoberto o gene da fonte da juventude?

 

Dificuldades em visualizar este e-mail? Consulte-o online!

Newsletter não segue Acordo Ortográfico

Ratos que foram geneticamente modificados para desenvolver tumores não conseguiram faze-lo: em vez disso, os animais cresceram peludos e tamanho gigante. E quando as pontas dos dedos das patas posteriores dos juvenis foram cortados, num processo de marcação tradicional, frequentemente voltavam a crescer.

O que estes ratos tinham de diferente era o facto de produzirem uma proteína chamada Lin28a, geralmente produzida apenas nos embriões em desenvolvimento. A Lin28a já tinha chamado à atenção pelo seu envolvimento no funcionamento de células estaminais e do cancro. 

Um estudo agora publicado na revista Cell mostra que esta mesma proteína pode melhorar a reparação tecidular, mesmo em adultos. Nos ratos geneticamente modificados para produzirem a proteína ao longo de toda a vida, o pêlo dos animais crescia mais rapidamente que o normal os ferimentos perfurantes feitos nas orelhas saravam quase completamente.

“Ficámos tão chocados que uma alteração tão pequena neste gene pudesse produzir efeitos tão profundos num tecido complexo em regeneração", diz Hao Zhu, biólogo celular no Centro Médico da Universidade do Sudoeste do Texas em Dallas e um dos autores do estudo.

Reiniciar as células usando genes embrionários já tinha sido visto antes, principalmente na criação de células estaminais pluripotentes induzidas, que adquirem um estado semelhante ao embrionário após um conjunto de genes ser activado. Mas este último estudo revela que essas alterações rejuvenescedoras podem ser feitas não apenas em células em cultura mas em tecidos desenvolvidos no corpo de um organismo adulto. Isto sugere que pode ser possível fazer com que tecidos velhos se comportem como tecidos jovens, que são mais capazes de reparar danos sofridos. Nos fetos de mamíferos, por exemplo, mesmo ferimentos profundos podem sarar sem deixar cicatrizes.

“O nosso corpo sabe que idade tem e os genes regulam esse conhecimento", diz Zhu. “Existem reguladores genéticos que o ditam e ainda que não saibamos a totalidade deles, acho que o Lin28a é um deles."

Nem tudo o que os investigadores testaram ganhou um poder de regeneração e cura extraordinário com a Lin28a, no entanto. A regeneração cardíaca, por exemplo, não foi aumentada e as extremidades dos dedos dos membros posteriores cortadas não cresceram novamente após os ratos atingirem a adolescência. Mas o crescimento acelerado do pêlo e dos tecidos cartilagíneo e conjuntivo na orelha continuaram pela fase adulta.

 

“O facto de por vezes não funcionar torna tudo ainda mais interessante porque levanta a questão do porquê", diz Daniel Goldman, da Universidade do Michigan em Ann Arbor, que estudou o papel da Lin28 na regeneração da retina em peixes-zebra. Ele suspeita que alguns tecidos, como o coração, podem ter mecanismos de resistência ao reinício.

O que é particularmente intrigante é a forma como a Lin28a reinicia a idade biológica de uma célula. A proteína é mais estudada pelo seu efeito sobre uma molécula de RNA conhecida por let-7, que restringe a proliferação celular e promove a maturação. Mas Zhu e os seus colegas descobriram que a Lin28a também afecta o metabolismo celular promovendo os níveis de várias enzimas envolvidas no funcionamento das mitocôndrias.

O facto de o metabolismo estar envolvido no processo de regeneração foi o resultado mais surpreendente, diz Shyh-Chang Ng, biólogo celular no Hospital Pediátrico de Boston no Massachusetts e um dos autores do estudo. “A maior parte dos biólogos pensaria que seria preciso um factor especial para gerar esta via metabólica de cura mas isto pode ser uma coisa que todas as células têm."

Esta ideia está muito longe de ter aplicações médicas, no entanto, diz Ng. A maioria dos medicamentos tem como alvo enzimas ou receptores superficiais das células e a Lin28 não é nenhum deles. Trata-se de uma proteína que se liga ao RNA e se localiza no núcleo, logo é difícil tê-la como alvo usando os medicamentos convencionais. Mais, tem muitos efeitos na célula, logo não é claro onde nos queremos focar, por enquanto.

 

 

Saber mais:

Criadas células estaminais em ratos vivos

Como regenerar a sua cabeça

Sequenciação da salamandra pode fazer recuar esforços de fazer crescer membros em humanos

Ratos espinhosos africanos regeneram pele perdida

Células de salamandra lembram-se da sua origem na regeneração de membros

Regeneração celular dá esperança a diabéticos

 

 

Facebook simbiotica.orgTwitter simbiotica.orgGoogle + simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org Pinterest simbiotica.org

 

Arquivo  |  Partilhar Comentar |   Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  Subscrever | @ simbiotica.org, 2013


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com