2004-05-28

Subject: Noruega pretende triplicar a captura de baleias

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Noruega  pretende triplicar a captura de baleias 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

O parlamento norueguês considera que a sua quota anual de baleias minke deve subir "consideravelmente" o mais breve possível. A quota de 2004 de 670 baleias pode ser praticamente triplicada para 1800 animais por ano, se o governo concordar em agir. 

O ministro norueguês das pescas revelou que o país também pretende iniciar investigação científica sobre outras espécies de baleias, usando tecnologia satélite para as contar. Segundo o ministro, uma avaliação do efectivo de baleias desta forma pode ser um prelúdio para a retoma da caça a espécies menos abundantes. 

A resolução aprovada pelo parlamento refere que triplicar a caça às baleias minke para 1800 animais por ano, a média das capturas nos anos 60 e 70 do século passado, ajudará a proteger os stocks pesqueiros. 

No entanto, a sugestão de que matar baleias pode ajudar a salvar peixes é rejeitada por muitos investigadores das pescas e peritos em baleias. 

A Noruega considera que 1800 baleias minke representam menos que a taxa mínima de crescimento prevista de 2% da população norte atlântica da espécie, que estimativas internacionais (segundo os noruegueses) colocam em 107000 animais. 

A Comissão Internacional de Caça à Baleia (IWC) concordou com uma moratória sobre a caça comercial à baleia, que está em vigor desde 1986, mas a Noruega não está vinculada por ela pois votou contra a sua introdução. 

Dois outros membros da IWC, o Japão e a Islândia, também matam baleias em nome da investigação científica, situação permitida pelas regras da comissão. Os conservacionistas estimam que, globalmente, cerca de 1400 baleias são mortas todos os anos. 

 

As baleias minkes ou baleia anã, a menor das grandes baleias, atinge os 10 metros de comprimento no adulto. São consideradas relativamente abundantes, apesar da IWC ter revisto as suas estimativas do seu efectivo no Atlântico norte nos últimos anos. 

A High North Alliance, baseada na Noruega, refere que existe para "proteger o direito dos baleeiros, caçadores de focas e e pescadores a capturar estes recursos renováveis, de acordo com o princípio da gestão sustentada". 

Rune Frovik, da Alliance, explica: a resolução deixa alguma margem de manobra para interpretação, apesar de ser bem clara nas intenções do parlamento, pelo que o governo terá que concordar. Pensamos que a quota de baleias minke deve subir até 1800 animais até 2006. Não é claro se a investigação proposta deve ser letal ou não letal mas não me parece que a morte de baleias esteja posta de parte. 

A proposta parece aplicar-se a virtualmente todas as espécies, excepto as baleias francas e e azuis, apesar de, na prática, eu pensar que o governo pretende avaliar o efectivo de baleias corcunda, piloto e várias espécies de golfinhos. 

 

 

Saber mais:

High North Alliance

IWC

Norwegian Fisheries Ministry

ARKive

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com