2013-02-14

Subject: Lesma-do-mar perde pénis após sexo ... e faz crescer um novo no dia seguinte!

 

Lesma-do-mar perde pénis após sexo ... e faz crescer um novo no dia seguinte!

 

Dificuldades em visualizar este e-mail? Consulte-o online!

Newsletter não segue Acordo Ortográfico

@ Nature/MATTHEW OLDFIELD/SCIENCE PHOTO LIBRARYAs espantosas cores de aviso dos nudibrânquios, o diversificado taxon a que pertencem as lesmas-do-mar, são certamente suficientes para atrair atenção mas mesmo elas empalidecem perante as a sensacional notícia de que uma espécie destes moluscos tem por hábito descartar o seu pénis.

Os nudibrânquios são hermafroditas e quando acasalam desempenham o papel de machos, doando esperma, e de fêmeas, simultaneamente recendo o esperma do parceiro. Este procedimento envolve dois órgãos semelhantes a vaginas e dois pénis, ocorrendo efectivamente a transmissão de esperma em simultâneo.

Este tipo de arranjo é relativamente standard para os nudibrânquios, logo seria de esperar que os órgãos sexuais dos animais tivessem um aspecto bastante semelhante mas eles revelam uma incrível diversidade de órgãos sexuais e foi durante uma exploração desta diversidade na espécie Chromodoris reticulata que os investigadores fizeram a sua descoberta de cair o queixo.

Uma equipa japonesa liderada por Ayami Sekizawa, da Universidade de Osaka, e Yasuhiro Nakashima, da Universidade Nihon de Tóquio, mergulhou ao largo da costa de Okinawa para recolher lesmas-do-mar. Colocaram os animais em aquários aos pares, em alguns casos tendo um dos membros do par estado isolado dos outros durante 24 horas. Noutros casos, um animal que tinha recentemente acasalado foi colocado com outro que tinha estado isolado.

No total, a equipa observou 108 emparelhamentos e notou que os animais que tinham recentemente doado esperma pareciam incapazes de o voltar a fazer pelo menos durante 24 horas. 

Quando analisaram a questão com mais atenção, aperceberam-se que os animais, após a cópula, se afastavam arrastando os pénis ao seu lado e cerca de 20 minutos depois estes eram descartados. Os autores perceberam, então, que os nudibrânquios não doavam novamente esperma no espaço de 24 horas porque lhes faltava a necessária anatomia para o fazer.

 

O exame do pénis da lesma-do-mar e dos órgãos sexuais a ele associados revelou um estrutura em espiral apertada no interior do corpo do animal que não tinha acasalado recentemente. Já os animais que tinham descartado o pénis não apresentavam esta estrutura. “Pensamos que esta espiral é na realidade um pénis em repouso, que se desenrolará rapidamente após o pénis ter sido descartado e crescerá para formar um novo pénis”, explica Sekizawa. Os resultados do estudo feito pela sua equipa foram publicados na revista Biology Letters.

Quanto à razão porque a C. reticulata terá desenvolvido estes pénis descartáveis, Sekizawa especula que o descartar pode ser parte do processo de remoção do esperma de um rival da vagina do parceiro, pois os pénis apresentam espinhos minúsculos, que geralmente estão cobertos de esperma quando removidos do parceiro sexual.

Nils Anthes, ecologista evolutivo na Universidade de Tübingen, Alemanha, que não esteve envolvido no estudo, concorda: “Se trabalhos genéticos confirmarem que os espinhos do pénis estão realmente carregados com esperma rival após a retracção, então será melhor para os animais descartar esse pénis como se de uma seringa suja se tratasse. De outra forma, arriscariam entregar esperma rival, misturado com o seu, em futuros encontros sexuais."

 

 

Saber mais:

Priápulo faz abanar dogma evolutivo

Como o pénis perdeu os espinhos

Filmes pornográficos com vermes revelam segredos do sexo

Super-órgão sexual de lula descoberto

Bizarras técnicas sexuais das lulas reveladas

Pénis é um "animal" competitivo

O tamanho é mesmo importante!!

 

 

Facebook simbiotica.orgTwitter simbiotica.orgGoogle + simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.org Pinterest simbiotica.org

 

Arquivo  |  Partilhar Comentar |   Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  Subscrever | @ simbiotica.org, 2013


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com