2004-05-19

Subject: Quintas de camarão causam sérios danos em países pobres

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Quintas de camarão causam sérios danos em países pobres 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

A crescente procura de camarão está a causar uma crise ambiental em alguns dos países mais pobres do mundo, revela um estudo agora publicado. 

A Environmental Justice Foundation alega que revelou vastos danos ambientais directamente atribuíveis à criação de camarão em viveiro, nomeadamente a destruição das zonas húmidas, a poluição da terra e do mar e a destruição dos stocks selvagens de peixe, de que milhões de pessoas dependem para o seu sustento. 

Steve Trent, director da EJF, refere que os danos ocorrem em resultado da atitude "enriquecer rapidamente" dos criadores de camarão, encorajada pelas agências governamentais para o desenvolvimento nessas zonas. 

É tempo de fazer frente a esse tipo de atitude, pois se tal não acontecer termos em mãos um desastre nas comunidades costeiras dos países pobres e em habitats únicos para a vida selvagem. A EJF relata que até 38% da destruição dos mangais, a nível global, deriva do desenvolvimento das criações de camarão. 

A taxa de destruição dos mangais é actualmente superior à da floresta tropical. Os danos estão a ser causados pela poluição e pela desflorestação, para abrir espaço para as novas quintas. Os poluentes químicos usados incluem antibióticos, fertilizantes, desinfectantes e pesticidas, que podem ser tão perigosos para o Homem como para o ambiente. A água salgada das criações também parece estar a composição dos solos locais. 

A criação de camarão pode ter um efeito adverso nos stocks de peixes selvagens, através da poluição e destruição das zonas húmidas, bem como por níveis insustentáveis de capturas secundárias durante a captura de camarão no mar e pela introdução de doenças. 

 

Mas a doutora Janet Brown, perita em criação de camarão do Instituto de aquacultura da Universidade de Stirling, alerta para a cautela sobre alguns dos aspectos referidos no relatório. A questão é complicada, pois cada país é um caso diferente. Na realidade, não há nenhuma vantagem em criar quintas de camarão nos mangais, as pessoas apenas o fazem por serem áreas públicas a que têm acesso barato. 

Estudos anteriores, por exemplo o realizado nas Honduras em 1996, revelaram que havia mais destruição de mangal devida à queima de madeira para carvão do que para quintas de camarão, refere Brown. 

O relatório da EJF alega que a criação de camarão para exportação tem sido promovida pelas agências de apoio humanitário, bancos e governos, como formas de levar os países mais pobres a atingir níveis de desenvolvimento e aliviar a pobreza, mas sem planejamento e regulação. 

O camarão é actualmente criado em mais de 50 países, na sua maioria países em vias de desenvolvimento, nomeadamente Tailândia, Indonésia, Índia, Vietname, Equador, Filipinas, Bangladesh, México e Brasil. 

 

 

Saber mais:

Environmental Justice Foundation

Fish suffer from mangrove losses

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com