2012-03-11

Subject: Japão termina antecipadamente época de caça à baleia

 

Japão termina antecipadamente época de caça à baleia

 

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ BBCO Japão terminou a sua época de caça à baleia com menos de um terço do seu objectivo anual alcançado, revelou a Agência de Pescas do país.

Os navios baleeiros regressaram a casa a partir do oceano Antárctico esta semana com 266 baleias anãs e uma baleia comum, ficando aquém da sua quota prevista em cerca de 900 animais.

A agência culpou a "sabotagem" realizada por activistas anti-caça à baleia pelo incumprimento. O Japão realiza "investigação legal" em baleias todos os anos mas os activistas consideram essa alegação uma cobertura para caça à baleia comercial, que está banida ao acordo de um tratado internacional.

"A captura foi menor do que a planeada devido a factores variados, incluindo condições atmosféricas e actos de sabotagem realizados por activistas", referiu um funcionário da agência aos jornalistas. "Houve decididamente campanhas de sabotagem por trás deste número."

O grupo anti-caça à baleia com sede nos Estados Unidos Sea Shepherd segue a frota japonesa para sul todos os anos, com o objectivo de perturbar as suas caçadas.

"Penso que foi uma campanha muito bem sucedida", referiu o presidente da organização conservacionista, Paul Watson. "Previ que não seriam capazes de capturar mais de 30% e acabaram por conseguir 26% por isso acertámos no alvo neste caso."

Existe uma moratória à caça à baleia comercial desde há 25 anos mas o Japão captura cerca de mil baleias por ano, como parte do que qualifica como o seu programa de investigação científica.

 

O governo australiano também recebeu com grande satisfação a decisão japonesa de chamar de volta a sua frota baleeira.

"As actividades baleeiras japonesa são contrárias à lei internacional", referiram em comunicado. "É por isso que a Austrália iniciou e irá continuar acções legais nesse sentido junto ao Tribunal Internacional."

Os ambientalistas também têm activamente resistido às actividades baleeiras do Japão.

Em Janeiro, três activistas referiram ter sofrido cortes e hematomas após chocarem com um navio japonês, o conhecido Yushin Maru Nº 2, a cerca de 300 milhas (482 km) a norte da Península Mawson, ao largo da costa antárctica.

O Instituto de Investigação de Cetáceos, que patrocina as actividades baleeiras japonesas, também revelou que os activistas estavam a tentar ''sabotar'' o Yushin Maru, atirando-lhe cordas com arpões e garrafas de vidro cheias de tinta. O navio era um dos navios de segurança que escoltavam a frora baleeira.

Na semana anterior ao incidente, o Japão tinha entregue três activistas anti-caça à baleia, que tinham subido a bordo de um navio baleeiro, às autoridades australianas.

 

 

Saber mais:

Sea Shepherd

Activists and Japan whalers clash

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2012


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com