2011-07-18

Subject: Lagarto apresenta capacidade de resolução de problemas

 

Lagarto apresenta capacidade de resolução de problemas

 

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ Manuel Leal/BBCUm lagarto arborícola de um verde vibrante surpreendeu os cientistas com a sua capacidade mental ao ser bem sucedido num teste de resolução de problemas.

O lagarto tropical Anolis evermanni foi capaz de associar a cor de um disco a uma recompensa alimentar, virando o disco correcto para revelar uma deliciosa lagarta escondida por baixo.

Os resultados, publicados na revista da Royal Society Biology Letters, sugere que os répteis são mais inteligentes do que antes se considerava.

Os cientistas deram a seis lagartos uma tarefa de discriminação de cores. Primeiro esconderam uma lagarta debaixo de um disco para descobrir se o lagarto seria capaz de negociar o obstáculo.

Manuel Leal, investigador da Universidade de Duke, que liderou o estudo, explica: "A primeira coisa que queríamos saber era se eram capazes de virar o disco para alcançar a lagarta."

Esta humilde e bem estudada espécie é conhecida por ter um método de obtenção de alimento simples, em que percorre o horizonte em busca de presas e ataca-as de cima "mas na nossa experiência", explicam os investigadores no artigo, "as pistas visuais estavam ausentes e atacar a partir de cima era um método ineficaz de deslocar o disco".

Ainda assim, os pequenos répteis rapidamente aprenderam a usar um de dois métodos para deslocar o disco que escondia o seu petisco: mordiam a orla do disco a arrastavam-no para fora da posição ou, ainda mais inventivo, chocavam contra o disco, empurrando-o com a cabeça e recolhendo a lagarta.

"Fiquei espantado com este segundo método", diz Leal. "Não estávamos à espera deste tipo de capacidade de resolução de problemas. Usando os focinhos como alavanca não é apenas a transferência de um comportamento natural para uma nova tarefa, é usar um novo comportamento para resolver um novo problema."

 

Os investigadores apresentaram, de seguida, ao lagartos a escolha entre dois discos de cores diferentes, um azul e outro azul e amarelo.

"Os lagartos aprenderam a associar a cor do disco com uma recompensa alimentar", explica Leal. "E quando mudávamos os discos, e por isso a lagarta estava debaixo de outro disco, eles foram capazes de reverter o que tinham aprendido."

O lagarto A. evermanni vive na copa das florestas tropicais de Puerto Rico, dormindo nos ramos ou sobre as folhas, alimentando-se essencialmente de insectos. "A maior parte do tempo caminham ou correm sobre os ramos, ocasionalmente saltando de ramo em ramo", explica Leal.

Os cientistas especulam sobre a possibilidade de a discriminação de cores poder ser útil nas rotinas de corte dos lagartos. "Cada espécie do género Anolis apresenta um padrão de cores algo distinto, pelo que a discriminação rápida das cores pode ser importante durante para as fêmeas durante o processo de secção dos parceiros."

A capacidade de ser flexível também poder permitir aos lagartos explorar  adaptar-se a novos habitats e procurar novas fontes de alimento.

 

 

Saber mais:

Behavioural flexibility and problem-solving in a tropical lizard - Biology Letters

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2011


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com