2011-01-07

Subject: Lágrimas femininas contêm mensagens químicas

 

Lágrimas femininas contêm mensagens químicas

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ NatureAs lágrimas derramadas por mulheres contêm sinais químicos que reduzem a excitação sexual e os níveis de testosterona nos homens, revela um estudo agora conhecido.

O resultado, descoberto por Noam Sobel, neurocientista cognitivo no Instituto de Ciência Weizmann em Rehovot, Israel, foi publicado na última edição da revista Science.

A existência de feromonas, sinais químicos excretados que produzem respostas sociais, em humanos tem sido debatida, ainda que a investigação tenha demonstrado que o suor humano comunica informação sobre a identidade individual, parentesco genético, estado emocional e de saúde, diz Denise Chen, que estuda o olfacto humano na Universidade Rice em Houston, Texas. As lágrimas de rato contêm feromonas específicas do sexo, mas os cientistas não tinham antes demonstrado que o choro humano contivesse algum tipo de sinal químico. "Este trabalho fornece evidências realmente entusiasmantes de outra fonte de sinais químicos nas lágrimas", diz Chen.

No estudo, as mulheres viram filmes tristes sozinhas e capturaram as suas próprias lágrimas com um tubo colocado junto ao olho. Posteriormente, 24 homens cheiraram recipientes contendo lágrimas das mulheres ou solução salina que tinha feita escorrer pelas faces das mulheres e, seguidamente, usaram um penso humedecido com um dos líquidos debaixo do nariz. Os homens que cheiraram lágrimas consideraram imagens de rostos femininos menos atractivos sexualmente do que os homens que cheiraram a solução salina mas os seus sentimentos de empatia não mudaram.

Numa experiência separada, 50 homens cheiraram lágrimas ou solução salina. Cheirar lágrimas, mas não solução salina, reduzia a sua excitação sexual (por si descrita), os níveis de testosterona na saliva e medições fisiológicas da sua excitação.

Os investigadores também expuseram 16 homens a lágrimas ou solução salina e mediram a sua actividade cerebral usando ressonância magnética funcional. Os homens que cheiraram lágrimas em vez de solução salina revelaram menor activação de regiões cerebrais implicadas na excitação sexual, como o hipotálamo.

 

"Penso que o estudo usou uma metodologia sem falhas e os resultados são realmente fascinantes", diz Ad Vingerhoets, que estuda emoção na Universidade Tilburg na Holanda. "Mas tanto quanto sei, não há uma justificação clara lógica, teórica ou empírica para a concepção de um estudo sobre os efeitos das lágrimas no sexo." No entanto, como as lágrimas são consideradas como reforço das ligações sociais e induzem um comportamento carinhoso, para além de atraírem sexualmente em ratos, Vingerhoets está intrigado com a razão porque o choro humano não causa alterações na empatia mas reduz a excitação sexual.

Robert Provine, que estuda a evolução e bases neurais do comportamento na Universidade do Maryland, Baltimore County em Catonsville, diz que os resultados são consistentes com sugestões prévias de que o choro pode reduzir a agressão. A testosterona pode estar associada à hostilidade e a capacidade de redução da agressividade pode ser evolutivamente adaptativa, explica ele.

Como os autores do último estudo não compararam os efeitos das lágrimas emocionais e não emocionais, não podem directamente avaliar de que forma os sentimentos da mulher influenciam o sinal. Chen diz que para explorar se as lágrimas evocadas por diferentes emoções servem funções específicas e têm composição química distinta, os investigadores também teriam que realizar experiências que solicitassem choro de alegria ou lágrimas neutras, como as causadas por um agente alergénico ou irritante, como as cebolas.

Mas primeiro, diz Chen, os autores deviam repetir as suas experiências impedindo que as lágrimas rolassem pelas faces da mulher. A pele segrega sinais químicos que variam com o estado emocional do indivíduo, explica ela, logo as lágrimas podem ter transportado estes sinais para o tubo. Apesar das suas preocupações, Chen diz que "no conjunto, como primeiro estudo, é muito entusiasmante e repentinamente abre uma porta para muitos outros estudos no futuro". 

 

 

Saber mais:

Insectos travam estranha guerra dos sexos

Ratos macho assinalam a sua disponibilidade com lágrimas

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2011


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com