2004-04-29

Subject: Homens de Neanderthal eram adultos aos 15 anos

News of the Wild

 

Bem-vindo(a) a mais uma edição do boletim informativo  News of the  Wild

Este boletim é mantido pelo site Born to be Wild, para que não esqueça o seu lado selvagem ...

 

Em destaque:

Homens de Neanderthal eram adultos aos 15 anos 

 

  Questões ou comentários para: borntobewild@clix.pt

Dê o site Born to be Wild a conhecer a um amigo!!

 

Investigadores franceses e espanhóis analisaram os registos de crescimento preservados nos dentes dos homens de Neanderthal, homens modernos e duas outras espécies de ancestrais humanos, num estudo agora publicado na revista Nature

As irregularidades na deposição de esmalte nos dentes revela a velocidade do seu crescimento. Os homens de Neanderthal formavam as suas coroas 15% mais depressa que do que nós o fazemos, alcançando a idade adulta quando os humanos modernos ainda estavam na adolescência. 

Essas irregularidades na deposição do esmalte são preservadas sob a forma de minúsculas cristas horizontais na superfície do dente. Cristas muito próximas mostram uma taxa de crescimento menor, enquanto as mais espaçadas apontam para um rápido crescimento. 

No Homem moderno Homo sapiens sapiens o crescimento dos dentes abranda dramaticamente após a formação da metade superior da coroa, o que leva à formação de cristas mais próximas na metade inferior da coroa. 

No relatório, Fernando Ramirez Rozzi e Jose Bermudez de Castro analisaram os incisivos e caninos de 119 restos humanos de diferentes indivíduos europeus, abrangendo um período de cerca de 800000 anos. Descobriram que as cristas eram, de forma geral, mais espaçadas nos humanos primitivos como o Homem de Neanderthal, Homo heidelbergensis e Homo antecessor, do que no nossa própria espécie. 

De todos, os Neanderthal eram os que apresentavam as cristas mais espaçadas. Os autores argumentam que este facto indica os Neanderthal cresciam mais rapidamente de forma geral, talvez uma consequência evolutiva de uma taxa de mortalidade na idade adulta muito elevada. 

 

Quando se tem uma taxa de mortalidade elevada, existem duas soluções evolutivas: apresentar um período de crescimento curto ou deixar muitos descendentes de uma única vez, explica Ramirez Rozzi, do Centre National de la Recherche Scientifique, em Paris. No entanto, em humanos não é viável deixar mais do que 2 ou 3 descendentes de uma única vez, pelo que sugeriria que a mortalidade elevada seria uma pressão selectiva para um crescimento rápido. 

O professor Christopher Dean, da University College London refere: acho que devem estar certos, embora não tenham analisada a histologia interna do dente, nem molares. A prioridade futura deverá ser a análise dos molares, que são cruciais no estabelecimento do ciclo de vida.

Alguns investigadores relacionam o desenvolvimento lento com o aumento do tamanho cerebral no decurso da evolução humana, mas o homem de Neanderthal parece seguir um padrão evolutivo contrário, com crescimento rápido e um cérebro grande. Os resultados desta pesquisa podem sugerir que afinal essa tendência evolutiva pode ser totalmente casual, refere Ramirez Rozzi. 

Christoph Zollikofer, um antropólogo da Universidade de Zurique, considera que este trabalho está de acordo com o exame de crânios de homens modernos e Neanderthal que tem realizado, com a sua colaboradora Marcia Ponce de Leon. Os Neanderthal deviam apresentar a mesma taxa de desenvolvimento cerebral que o homem moderno, mas após os 3 ou 4 anos, os homens modernos ganhavam tempo em relação ao desenvolvimento cognitivo, pois tinham mais tempo para aprender. 

Estes resultados também contrariam a teoria de que os Neanderthal eram carnívoros pois necessitariam de uma dieta muito rica em calorias para sustentar o seu crescimento rápido e grande cérebro. 

 

 

Saber mais:

Nature

 

 

Comentar esta notícia           Imprimir

 

Recebeu este boletim através de um amigo??

Faça a sua própria subscrição aqui!!

Se não deseja receber o boletim Born to be Wild clique aqui!!

Respeitar os animais é respeitarmo-nos a nós próprios!

@ Born to be Wild, 2004


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com