2010-09-08

Subject: Revelados segredos da locomoção da preguiça

 

Revelados segredos da locomoção da preguiça

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ BBCAs preguiças vivem unicamente de cabeça para baixo e um novo estudo revelou alguns dos segredos da forma como fazem.

Os cientistas analisaram a forma como estes estranhos animais se deslocam, mantendo-se pendurados das árvores.

Usando várias técnicas de imagem, os investigadores descobriram que as preguiças na realidade caminham de cabeça para baixo mas têm um leque de adaptações especiais que lhes permitem manter um estilo de vida invertido. Os detalhes foram publicados na revista Zoology.

"As preguiças são o protótipo dos animais de cabeça para baixo, ficam penduradas pelas quatro patas dos ramos", diz o biólogo evolutivo John Nyakatura, da Universidade Friedrich-Schiller em Jena, Alemanha.

Ele e os seus colegas estudaram a locomoção da preguiça de dois dedos Choloepus didactylus para descobrir de que forma o seu corpo está adaptado à seu estilo de vida único. Filmaram as preguiças em movimento, gerando uma série de vídeos, tomografias axiais e radiografias em vídeo, de forma a revelar os ossos dos mamíferos.

Usando essas imagens, criaram animações em três dimensões que mostram em detalhe como o esqueleto da preguiça está adaptado ao movimento de cabeça para baixo. "Surpreendentemente, as preguiças deslocam-se de maneira muito semelhante à dos mamíferos normais, com excepção de estarem invertidas", refere Nyakatura.

@ BBCPor exemplo, os ângulos dos membros com as articulações são semelhantes aos que se encontram noutros mamíferos de pequeno ou médio porte. "Os mesmos músculos que são responsáveis por deslocar o membro para a frente e para trás durante a locomoção dos mamíferos normais são também responsáveis pela tarefa nas preguiças. O padrão está conservado pela evolução", acrescenta Nyakatura.

 

No entanto, as preguiças apresentam realmente um leque variado de adaptações especiais, revela o estudo. "Elas fazem algumas coisas de forma única, para além do óbvio. As preguiças têm braços comparativamente mais compridos mas omoplatas muito curtas e tórax muito estreito. 

Os investigadores defendem que estas características ajudam a maximizar a mobilidade a nível do ombro e ajudam os animais a navegar pela floresta e entre árvores, um habitat tridimensional complexo, sem serem capazes de saltar entre os espaços.

As preguiças também apresentam arranjos especiais de músculos. Um dos músculos peitorais, por exemplo, desceram para o braço da preguiça. Noutros mamíferos, incluindo humanos, têm-no geralmente ligado ao antebraço perto da articulação do ombro. Este arranjo peculiar ajuda as preguiças a transportar o peso do corpo, que está permanentemente a ser puxado para baixo pela gravidade.

"E claro que têm aquelas garras como ganchos e outras coisas", diz Nyakatura. Estas adaptações ajudam as preguiças a manter o seu estilo de vida invulgar. "Na realidade, esta estratégia abriu-lhes um nicho."

As preguiças deslocam-se lentamente devido à sua dieta pobre em calorias. Serem capazes de sobreviver apenas com folhas significa que podem evitar a necessidade de procurar alimentos mais calóricos, como carne ou fruta, um comportamento mais energético que, por sua vez, atrairia a atenção dos predadores.

"As preguiças são especializadas num comportamento deliberado de eficiência energética muito críptico. As pessoas deviam deixar de pensar nelas como animais deficientes", diz Nyakatura. "É tempo de as pessoas começarem a pensar nas preguiças de forma diferente, não são apenas preguiçosas e lentas. Desenvolveram uma estratégia diferente para lidar com as exigências do dia a dia."

 

 

Saber mais:

John Nyakatura

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com