2010-09-07

Subject: Formigas protegem acácias de elefantes

 

Formigas protegem acácias de elefantes

 

Dificuldades em visualizar este email? Consulte-o online!

@ BBCUma espécie de acácia que se encontra no leste de África parece ser protegida dos danos causados pelos elefantes pelas formigas que nela habitam.

Investigadores das Universidades do Wyoming e da Florida desenvolveram uma série de estudos no distrito de Laikipia no Quénia central e no Parque Nacional Tsavo, também no Quénia.

Segundo eles, o coberto arbóreo estava cada vez mais raro à medida que o efectivo de elefantes aumentava, enquanto, em locais onde as manadas não podiam chegar devido à existência de vedações eléctricas, ainda que outros animais passassem normalmente, o arvoredo permanecia inalterado.

Os elefantes são extremamente eficientes a arrancar a casca das árvores, destruindo-as enquanto se alimentam: "O número de elefantes nas terras altas do centro do Quénia tornou-se suficientemente elevado nos últimos anos para que possamos observar árvores gravemente danificadas por eles quase por todo o lado", explica o autor do estudo, Todd Palmer.

Os investigadores ficaram, no entanto, intrigados quando se aperceberam que as árvores apenas tinham diminuído em zonas em que o solo era arenoso, não nas zonas com solo argiloso.

Palmer e o seu colega Jake Goheen publicaram os seus resultados na última edição da revista Current Biology, onde notaram que no solo argiloso parecia existir apenas um tipo de árvore, uma espécie de acácia chamada Acacia drepanolobium. Em zonas com solo arenoso, havia uma variedade muito maior de tipos de árvores.

@ BBCO que torna esta espécie de acácia especial é o facto de ter uma relação simbiótica com formigas. A planta fornece abrigo e alimento às formigas e parece agora que estas a protegem dos elefantes.

Para testar a sua hipótese e verificar o que estava realmente a manter os elefantes afastados das árvores, Palmer e Goheen primeiro tentaram remover as formigas das árvores. Imediatamente os elefantes começaram a interessar-se por devorar as árvores mas as formigas rapidamente regressaram e quanto mais eram, menos os paquidermes se interessavam pelas árvores.

 

Depois destas observações, os cientistas ofereceram a elefantes semi-selvagens alojados num centro de reabilitação no Parque Nacional Tsavo quatro tipos de ramos: dois ramos da acácia das formigas (um com e outro sem formigas) e dois ramos de outro tipo de acácia, novamente com e sem formigas. "Os elefantes nem tocavam nos ramos com formigas, eles cheiravam-nas à distância e sabiam que seria doloroso come-los", recorda Goheen.

Parece ser especialmente doloroso, e por isso dão-se a grande trabalho para o evitar, para um elefante ser picado na parte macia debaixo das trombas.

Outros grandes mamíferos, especialmente girafas, devoram estas árvores, provavelmente porque não se sentem tão incomodados com as formigas. Nigel Raine, também ecologista da Universidade de Londres, Royal Holloway, também estuda estas formigas e considera que as girafas comem as folhas destas acácias na mesma, apesar de as formigas lhes atacarem o focinho e boca, tentando picá-las.

"Sempre que há uma perturbação da copa das árvores, as formigas vêm imediatamente investigar. Eu próprio, como ecologista, acabo sempre com muitas picadas e ferroadas", diz Raine.

Plantas que estabelecem relações simbióticas com formigas podem ser encontradas noutros cantos do mundo, especialmente nas Américas Central e do Sul, onde não existem elefantes mas herbívoros de grande porte eram comuns até alguns milénios, quando se extinguiram.

Na fábula, os elefantes têm medo de ratos mas, na realidade, parecem ter muito mais medo de insectos. Estudos anteriores demonstraram que os elefantes não só têm medo de formigas, como fogem de zonas onde haja abundância de abelhas, basta que as oiçam a zumbir. 

 

 

Saber mais:

Mega-formigueiro conquista o mundo

Formigas são agressivas com infiéis

A batalha das borboletas e das formigas

Formigas amazónicas emboscam as presas

Super-colónia de formigas descoberta na Austrália

 

 

Twitter simbiotica.orgFacebook simbiotica.orgFlikr simbiotica.orgYouTube simbiotica.orgClique para deixar de subscrever esta newsletter

 

simbiotica.org  |  Arquivo  |  Comentar  |  Busca Contacte-nos  |  Imprimir  |  @ simbiotica.org, 2010


Return to Archives

Newsletter service by YourWebApps.com